Banco de Portugal, OCDE e Bruxelas prevêem recessão abaixo dos 3%


 

Lusa/AO Online   Economia   19 de Nov de 2009, 08:23

A economia portuguesa deverá contrair menos de três por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e regressar ao crescimento a crescer já em 2010, segundo as últimas projecções das várias organizações.

O Banco de Portugal, a Comissão Europeia e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) convergem na previsão de uma contracção abaixo dos três por cento em 2009, na última revisão de cada uma das organizações.

O OCDE divulgou hoje o seu 'Economic Outlook', revendo o crescimento da economia portuguesa em 2009, apontando agora para uma contracção de 2,8 por cento. A anterior era de 4 por cento.

Para a organização, a economia portuguesa crescerá 0,8 por cento já em 2010, e atingirá os 1,5 por cento em 2011.

O Banco de Portugal reviu na terça-feira as suas projecções para o desempenho da economia em 2009, estimando que a quebra na produção de riqueza seja menos acentuada que nas anteriores projecções.

No Boletim Económico de Outono, o banco central português afirma que a economia deverá sofrer uma contracção de 2,7 por cento, uma melhoria de 0,8 pontos percentuais face à anterior previsão, de 3,5 por cento.

Também a Comissão Europeia (CE) reviu em alta as projecções para o crescimento da economia portuguesa. No Boletim de Outono, Bruxelas estimou que a economia portuguesa ia cair 2,9 por cento em 2009, uma significativa melhoria face aos 3,7 por cento previstos no Boletim de Verão da organização.

A previsão para 2010 já não é tão favorável e aposta num ligeiro crescimento de 0,3 por cento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.