Açoriano Oriental
Covid-19
Autoridade de Saúde dos Açores diz que é quem tem informação fidedigna

O responsável da Autoridade de Saúde Regional dos Açores disse esta terça feira que é a região quem reporta a informação fidedigna sobre a pandemia da covid-19 e que já apelou à Direção-Geral da Saúde (DGS) para evitar erros.

article.title

Foto: GaCS/DRS
Autor: AO Online/ Lusa

“Os dados fidedignos são reportados por nós na Região Autónoma dos Açores”, afirmou o responsável da Autoridade de Saúde Regional, Tiago Lopes, numa conferência de imprensa em Angra do Heroísmo, ilha Terceira.

O relatório de situação sobre a pandemia da covid-19 da DGS, divulgado hoje ao início da tarde, incluía uma morte nos Açores, mas a informação foi negada horas depois pela Autoridade de Saúde Regional.

"Até ao momento, não foi registado nenhum óbito decorrente de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, na Região Autónoma dos Açores", referiu, em nota enviada à imprensa.

A Autoridade de Saúde Regional disse, no mesmo comunicado, que foi registado um óbito, na segunda-feira, no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, ilha e São Miguel, mas "a investigação laboratorial deu resultado negativo para infeção pelo novo coronavírus".

Entretanto, a DGS também retificou a informação, alegando que o óbito registado na Região Autónoma dos Açores era um caso suspeito, mas “veio infirmado” e só teve conhecimento de que o resultado era negativo “após fecho do boletim”.

Questionado pelos jornalistas sobre a divergência de informações, Tiago Lopes disse que terá existido “algum equívoco da parte da Direção Geral da Saúde”.

“Não temos nenhum óbito registado, nem se prevê que o mesmo aconteça na região”, salientou, alegando que os 17 casos positivos detetados nos Açores “estão clinicamente estáveis”.

O responsável da Autoridade de Saúde Regional salientou que este erro “não é compreensível” e que já entrou em contacto com a DGS.

“Já tive oportunidade de contactar com os responsáveis da DGS e penso que eles irão ver internamente o que motivou esta confusão, de maneira a que seja rapidamente resolvida e não volte a acontecer”, declarou.

Esta não foi a primeira vez em que as informações das duas entidades divergiram.

O boletim nacional da DGS do dia 18 de março falava em três casos nos Açores, quando a autoridade regional tinha confirmado apenas dois.

Em causa terá estado a contabilização de um caso detetado no continente de uma pessoa residente no arquipélago.

Os números dos Açores também não integram a listagem de casos por concelho, que a DGS passou hoje a divulgar.

Segundo Tiago Lopes, a contabilização de casos nos Açores não é feita por concelho, porque poderia “gerar algum pânico nalguma localidade com uma densidade populacional mais pequena” e levar a “falsos entendimentos”.

“As próprias delegações de saúde têm essa intervenção a nível local”, frisou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 400 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 18.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, há 33 mortes, mais 10 do que na véspera, e 2.362 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 302 novos casos em relação a segunda-feira (mais 14,7%).


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.