‘Atentados aos direitos primários dos pobres e excluídos continuam’

‘Atentados aos direitos primários dos pobres e excluídos continuam’

 

Paulo Faustino   Cultura e Social   21 de Nov de 2018, 10:13

O novo livro do Monsenhor Weber Machado vai ser lançado na próxima sexta-feira, pelas 20h30, no Auditório Luís de Camões. Sacerdote afirma que muitos dos assuntos abordados em “Denunciar, Formar, Amar” têm ainda hoje grande atualidade

Depois de “Flashes, Roteiros e Vivências”, apresentado em 2013, o Monsenhor Weber Machado Pereira vai juntar mais um livro à sua obra. Intitula-se “Denunciar, Formar, Amar” e, na linha do trabalho desenvolvido pelo sacerdote ao longo da sua vida, assume-se como mais uma voz que ecoa na defesa dos mais frágeis e necessitados.

A ideia de um novo livro surgiu há dois anos quando, numa conversa informal, o Cónego António Rego desafiou o antigo responsável pela Cáritas de São Miguel a publicar alguns textos dos muitos que ao longo dos anos - o primeiro remonta a 1971, ainda no tempo do Estado Novo - escreveu.

Os textos que compõem o livro são alguns dos que foram publicados nas últimas décadas em jornais locais, consubstanciando, na realidade, reflexões pessoais marcadas pela defesa dos direitos dos pobres e excluídos.

Em declarações ao Açoriano Oriental, o Monsenhor Weber Machado Pereira admite que não se sentia motivado para se lançar em mais um livro porque, afinal, o que foi escrevendo “não passava de um dever”. Mas a insistência de Santos Narciso, uma vez mais responsável pelo trabalho de organização e coordenação, haveria de ser um ‘motor de arranque’ para este projeto.


Leia mais na edição desta quarta-feira, 21 novembro 2018, do jornal Açoriano Oriental


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.