Arca de Zoé: Sarkozy deixa Ndjamena com jornalistas e hospedeiras libertadas


 

Lusa / AO online   Internacional   4 de Nov de 2007, 14:58

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, deixou já Ndjamena com destino a Paris, levando a bordo do avião quatro hospedeiras espanholas e três jornalistas franceses hoje libertados pela justiça chadiana.
    O caso tem a ver com o inquérito à tentativa de transportar para França, a partir do Chade, um total de 103 crianças africanas, na sua maioria do vizinho Sudão e vítimas do conflito em Darfur, operação organizada pela organização não governamental francesa Arca de Zoé.

    Antes de embarcar de regresso a Paris, a bordo de um "A-319" militar, Sarkozy manifestou o desejo de ver os restantes cidadãos franceses inculpados no caso sejam julgados em França.

    "Vou regressar a Paris com os jornalistas e com as hospedeiras", sublinhou Sarkozy, que adiantou que vai visitar oficialmente o Chade em Fevereiro próximo e que agradeceu ao seu homólogo chadiano, Idriss Déby, as diligências tomadas em todo o processo.

    Por outro lado, o governo de Madrid já adiantou que as quatro hospedeiras espanholas serão encaminhadas de Paris para a capital de Espanha num avião militar, assim que chegarem a Paris.

    Detidos continuam seis cidadãos franceses, todos membros da organização Arca de Zoe, e três outros membros da tripulação espanhóis do avião fretado para transportar para França 103 crianças a partir da localidade chadiana de Abéché.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.