Açoriano Oriental
António Ventura responsabiliza Mário Centeno por promessas não cumpridas nos Açores

O deputado do PSD/Açores na Assembleia da República, António Ventura, questionou, esta segunda-feira, o Ministro das Finanças sobre "um conjunto de promessas que o governo, de que também fez parte, não cumpriu nos Açores, na última legislatura", avançou.

article.title

Foto: PSD/A
Autor: Susete Rodrigues/AO Online

O deputado que falava na Comissão de Orçamento e Finanças, no âmbito da apreciação, na generalidade, do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020),considerou que Mário
Centeno "tem responsabilidades acrescidas sobre o que foi prometido aos açorianos em 2016, e que até agora não foi cumprido. Os últimos quatro Orçamentos de Estado falharam com os açorianos, mesmo se parte destes compromissos estava inscritos em sede orçamental", disse citado em comunicado.


António Ventura desafiou Mário Centeno a dizer aos açorianos se o OE2020 vai permitir "a instalação dos radares meteorológicos, a descontaminação total dos solos e aquíferos na Praia da Vitória, a construção da cadeia de Ponta Delgada ou a criação do Centro de investigação Oceanográfica no Faial".


E, da mesma forma, referiu-se "à execução do PREIT, ao reconhecimento da Universidade dos Açores como academia ultraperiférica, aos investimentos no Porto da Praia da Vitória ou a satisfação das lacunas nos serviços do Estado em estruturas e meios humanos".


"Onde está o dinheiro neste Orçamento para tais compromissos?", perguntou António Ventura ao Ministro das Finanças.


O deputado do PSD/Açores na República afirma que, "caso não se cumpram estas iniciativas, vamos novamente assistir à criação de expetativas e ao habitual fazer de conta do governo, com mais falhanços e faltas de palavra para com os açorianos", concluiu.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.