Almeida Santos distinguido pela Universidade de Coimbra


 

Lusa   Nacional   9 de Dez de 2007, 11:49

O antigo presidente da Assembleia da República Almeida Santos foi esta manhã distinguido com o grau de doutor "honoris causa" pela Universidade de Coimbra (UC), numa cerimónia que juntou várias personalidades da política e da justiça
A atribuição do grau de doutor, proposto pela Faculdade de Direito, distinguiu "a sua formação humanista, empenho cívico e cultural, verticalmente moral, com que sempre desempenhou os altos cargos para os quais foi nomeado".
Com um vasto currículo político, o jurista e presidente do PS foi ministro em vários governos, deputado à Assembleia da República, a que presidiu por duas vezes, presidente do grupo parlamentar do seu partido e escreveu mais de duas dezenas de livros.
"Almeida Santos tem sido, como se vê, um homem de acção. Mas foi sempre, também, um homem de estudo e reflexão", afirmou o vice-reitor Avelãs Nunes, no elogio do doutorando, que se licenciou em 1950 na Faculdade de Direito da UC.
Avelãs Nunes destacou a intervenção de Almeida Santos no processo de descolonização, defendendo o direito dos povos das ex-colónias à autodeterminação e independência e o reconhecimento dos movimentos de libertação das colónias no período a seguir ao 25 de Abril, já como ministro da Coordenação Interterritorial. 
"Não me custa reconhecer que fui um razoável advogado, um não muito mau político, um aceitável parlamentar, um prolífico legislador e um responsável cidadão", disse na cerimónia, na Sala dos Capelos, Almeida Santos, de 81 anos.
"Ideologicamente, debati-me sempre com uma constante: a procura de uma síntese equilibrada e justa entre a liberdade e a igualdade. Nunca, entre uma e outra, deparei com o obstáculo de um separador intransponível, Daí que a minha utopia tenha chegado até hoje intacta", acrescentou.
O doutoramento "honoris causa" de Almeida Santos teve como apresentante o professor de Direito Constitucional Joaquim Gomes Canotilho, enquanto o professor António Pinto Monteiro fez o elogio do apresentante.
Mário Soares, Jaime Gama, Ramalho Eanes, Vasco Lourenço, o procurador-geral da República e o presidente do Tribunal Constitucional, entre governantes, deputados e dirigentes políticos, assistiram à cerimónia de imposição das insígnias doutorais, que foi presidida pelo reitor da UC, Seabra Santos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.