Ajuda externa

Alberto João Jardim considera-se alvo da fúria do poder financeiro

Alberto João Jardim considera-se alvo da fúria do poder financeiro

 

Lusa/AO online   Nacional   12 de Set de 2011, 21:43

O presidente do governo regional da Madeira afirmou que está a ser alvo da “fúria” do poder financeiro, por não permitir que este se sobreponha ao poder político, e acusou-o de organizar uma “guerra” contra a Região.
“A fúria que muita gente me tem, principalmente os da Madeira velha, é que, comigo, nunca o poder financeiro se impôs ao poder político. Eu represento a população. Ajo em nome da população. E, tenha muito ou pouco dinheiro, vão democraticamente obedecer ao que tem que ser feito. Assim é que é a democracia”, afirmou Alberto João Jardim.

Na cerimónia de inauguração de um caminho agrícola na freguesia do Faial, concelho de Santana, o chefe do Executivo regional salientou ainda: “Como o poder financeiro tem muito dinheiro, obviamente faz vários poderes políticos fazerem guerra a mim”.

O presidente do Governo Regional acusou, referindo-se a si na terceira pessoa: “Eles organizam uma guerra contra a Madeira e contra o Alberto João”, adiantando que o querem tirar do poder “porque está a fazer oposição aos grandes poderes financeiros deste País, como sempre fez aos da Madeira velha”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.