Aviação

Air China aumenta a frequência de voos entre a China e Brasil


 

Lusa / AO online   Economia   3 de Dez de 2007, 11:38

A Air China aumentou de duas para três vezes por semana a frequência de voos entre Pequim e São Paulo, via Madrid, devido ao aumento da procura, informa esta segunda-feira a imprensa oficial chinesa.
O aumento da procura, segundo a agência noticiosa oficial chinesa Nova China, levou também a Air China a trocar o Boeing 767-300, que inicialmente fazia a linha, por um Airbus A330, com maior lotação.

Em meados de Dezembro, a Air China deverá passar a integrar a rede de transportadoras Star Alliance, a que pertence a TAP Air Portugal, noticiou recentemente a imprensa estatal chinesa.

A transportadora estatal chinesa lançou em Dezembro de 2006 a rota para o Brasil, com escala em Madrid, apostando no mercado de turismo e negócios, com o objectivo oficial de promover os intercâmbios económicos, culturais e educativos entre a China e a América do Sul.

O voo Pequim-São Paulo passa agora a partir de Pequim todas as terças, quintas e domingos.

Esta rota foi a primeira a ligar directamente a China a um país da América Latina, uma vez que o objectivo da ligação é também aproveitar mercado turístico latino-americano.

Daí a escolha de Madrid como aeroporto de plataforma, que permite, segundo os operadores turísticos chineses, aproveitar as ligações entre Espanha e outros países da América do Sul.

A Air China transportou 31,5 milhões de passageiros em 2006, mais 13,8 por cento que em 2005, com uma taxa de ocupação em 2006 de 75,9 por cento, mais 1,8 por cento que no ano anterior.

A aviação chinesa deverá manter um crescimento anual de cerca de 14 por cento entre 2006 e 2010, segundo dados da indústria, com previsões que apontam para um crescimento anual de 14,5 por cento no transporte de passageiros, até ao total de 270 milhões em 2010.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.