Açoriano Oriental
Agricultores açorianos preveem ano de seca
O presidente da Federação Agrícola dos Açores alertou hoje que há "uma nova seca à porta", pelo menos na ilha de São Miguel, e reiterou que os pagamentos "exorbitantes" à Segurança Social vão "estrangular" os jovens agricultores
Agricultores açorianos preveem ano de seca

Autor: Lusa/AO online

Jorge Rita falava na inauguração da Feira Agrícola Açores 2014, no concelho da Ribeira Grande, onde disse que não tem chovido na maior ilha do arquipélago, adivinhando que este será um ano de seca, com impacto, sobretudo, a nível da alimentação do gado.

Para além desta questão, o presidente da federação das associações de agricultores dos Açores voltou a referir outra preocupação: os pagamentos à segurança social dos jovens agricultores, inscritos depois de 2011.

Para Jorge Rita, estas pessoas sentem-se hoje "um pouco defraudadas" com as "verbas exorbitantes" que têm de pagar à segurança social.

Apesar de estar em causa uma legislação nacional, o responsável apelou ao Governo Regional, cujo presidente esteve também na inauguração da feira agrícola, para tentar criar "legislação regional que proteja esses jovens", que são "importantes para garantir um futuro de sucesso" ao setor.

Quanto aos fundos comunitários para o período 2014-2020, Jorge Rita afirmou que a expectativa é que sejam bem aproveitados, como aconteceu com os anteriores, no sentido da modernização das explorações, da melhoria das infraestruturas e da produção com qualidade.

No que toca ao programa europeu específico para as regiões ultraperiféricas da Europa, o Posei, que está a ser revisto, sublinhou que é um "bom instrumento" e que o trabalho que o Governo Regional e a federação agrícola estão a fazer visa que "nenhuma ilha fique prejudicada" com a reestruturação do programa, que os procedimentos sejam simplificados e que as verbas cheguem mais depressa aos agricultores.

Jorge Rita apelou ainda "à sensibilidade" das seguradoras, para que se consigam criar seguros agrícolas para os Açores, que considerou fundamentais para "a estabilização das produções em todas as áreas".

O presidente da Federação Agrícola dos Açores pediu, também, ao Governo Regional para continuar a "apoiar e acarinhar" o setor, sublinhando que está provado e é reconhecido que é um investimento "que tem sempre retorno" a nível económico e social.

Jorge Rita sublinhou que este é o setor que mais tem crescido nos Açores, apontando as estimativas para que 50% da economia da região assente na agricultura.

A Feira Agrícola Açores 2014 termina no domingo e integra o concurso de vacas da raça Holstein Frísia (leiteiras), que Jorge Rita considerou ser, provavelmente, o melhor do país e um dos melhores da Europa.

Também o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, se referiu a este concurso, destacando que os Açores podem orgulhar-se de "ostentar" um "efetivo" de animais com uma das melhores genéticas do país.

Foi esta evolução, acrescentou, que permitiu, por exemplo, que em cerca de 15 anos a produção de leite anual nas ilhas passasse de 300 milhões de litros para 600 milhões.

PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.