Saúde

África do Sul em alerta contra doença infecciosa desconhecida

África do Sul em alerta contra doença infecciosa desconhecida

 

Lusa/AOonline   Internacional   6 de Out de 2008, 11:14

Os hospitais académicos de Joanesburgo e Pretória estavam em estado de alerta contra uma misteriosa doença infecciosa, aparentemente oriunda da Zâmbia, que já matou três pessoas.
Uma nota distribuída à Imprensa pelo Departamento de Saúde da província de Gauteng revela que uma mulher oriunda da Zâmbia, um paramédico que a acompanhou até Joanesburgo e uma enfermeira que a tratou morreram sem que a doença que os vitimou tenha sido identificada.

    Todos os testes feitos aos três pacientes, entre os quais à febre das carraças, febre hemorrágica e outras infecções potenciais, tiveram resultados negativos, refere a nota.

    A primeira paciente chegou da Zâmbia a 12 de Setembro, tendo sido admitida nesse mesmo dia na clínica Morningside Medi com sintomas semelhantes aos de uma gripe, tendo morrido dois dias depois.

    A 27 de Setembro, um paramédico que tinha acompanhado esta paciente da Zâmbia para Joanesburgo foi igualmente admitido na mesma clínica. O seu estado geral, que melhorou significativamente após ter baixado à clínica, viria a deteriorar-se a 01 de Outubro e o paciente morreu no dia seguinte.

    Segundo o Departamento da Saúde, uma enfermeira que tratou a primeira paciente na clínica de Morningside Medi, morreu domingo no hospital sir Albert Robinson, na zona do Rande Ocidental, onde vivia.

    Os responsáveis dizem que todos os profissionais que estiveram em contacto com os três pacientes, bem como as suas famílias, estão a ser monitorizados por um período de 21 dias e apelam ao público para reagir de imediato a situações clínicas envolvendo sintomas gripais e temperaturas altas, levando de imediato os pacientes para os hospitais académicos de Joanesburgo (Charlotte Maxeke) e Pretória (Steve Biko).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.