Açores tem a maior subida do Indicador per Capita, Algarve a maior queda

 Açores tem a maior subida do Indicador per Capita, Algarve a maior queda

 

Lusa/Aonline   Regional   10 de Nov de 2011, 13:39

A região dos Açores regista a maior subida do Indicador per Capita (IpC) do poder de compra do Instituto Nacional de Estatística (INE) entre 2007 e 2009, enquanto o Algarve tem a maior queda

O INE divulgou hoje a nona edição do Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio, com dados relativos a 2009, sendo que os últimos disponíveis diziam respeito a 2007.

A nível regional (NUTS II), os Açores registaram a maior subida com mais 2,52 pontos (para 86,14), o Norte cresceu 1,4 (para 87,64), o Alentejo somou 1,06 (para 88,39) e o Centro ganhou 0,65 pontos de poder de compra per capita (para 84,41).

As outras duas regiões do Continente cujo IpC desceu são as duas únicas que têm poder de compra acima da média nacional: Lisboa desceu 2,70 para 134,15 pontos e o Algarve teve a maior queda, de 3,25 por cento, ficando nos 100,4 pontos.

Nas regiões NUTS III, a maior variação foi a do Alentejo Litoral, com o poder de compra por habitante a crescer 4,77 pontos (para 95,30 pontos).

Fazendo as contas por NUTS III, de acordo com os dados do INE, o IpC só baixou, entre 2007 e 2009, em dez regiões: Baixo Vouga, Flores, Lezíria do Tejo, Alentejo Central, Entre Douro e Vouga, Médio Tejo, Pinhal Litoral, Corvo, Península de Setúbal e Grande Lisboa.

O Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio visa caracterizar os municípios "relativamente ao poder de compra numa interpretação ampla de bem-estar material", refere o INE.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.