Açores garantem compatibilidade entre SIRESP e rede regional

Açores garantem compatibilidade entre SIRESP e rede regional

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Nov de 2013, 17:45

O Governo dos Açores garantiu esta quarta-feira que a rede regional de comunicações para a proteção civil será compatível com a do SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), apesar de funcionarem em frequências diferentes.

Segundo o secretário regional da Saúde, Luís Cabral, que tem a tutela da Proteção Civil, o executivo açoriano vai "trabalhar no sentido da interligação" entre as duas redes.

"Existem tecnologias que permitem a interligação entre as duas redes, mas as redes irão funcionar em frequências diferentes por uma necessidade estrutural da rede a nível dos Açores", afirmou.

Segundo Luís Cabral, a rede que o executivo quer para os Açores "é uma evolução tecnológica" da que já existe no arquipélago, "dentro das mesmas frequências, porque são essas as únicas frequências que garantem, por exemplo, comunicações de ilha a ilha, coisa que a rede SIRESP não iria conseguir, pelas frequências que usa".

Luís Cabral falava no plenário do parlamento dos Açores, na Horta, que está a debater o orçamento regional para 2014 e respondia a perguntas do deputado do PSD Bruno Belo.

O social-democrata disse ser importante que a rede regional de comunicações de emergência possibilite "a todos os agentes" condições de estarem "todos coordenados" em situação de crise, referindo que estão em causa bombeiros, hospitais, forças de segurança, entre outros.

No mês passado, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, reiterou a intenção de manter na região um sistema próprio de comunicações para a proteção civil, em detrimento do SIRESP, por "servir melhor os requisitos" do arquipélago.

“O sistema nacional, por muitas virtualidades que tenha, não responde da mesma forma que o sistema regional. Os Açores estão particularmente sujeitos e com frequência à necessidade de utilizar este tipo de sistema de comunicações. Decidimos investir num sistema próprio”, afirmou.

Vasco Cordeiro sublinhou que serão investidos dois milhões de euros na atualização do sistema de comunicações regional e revelou que se disponibilizou para “auxiliar” e dar a “colaboração necessária” visando a instalação do SIRESP nos Açores para uso por parte de outras entidades.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.