“Açores estão na vanguarda das posições mundiais no combate às alterações climáticas”

“Açores estão na vanguarda das posições mundiais no combate às alterações climáticas”

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   24 de Set de 2019, 11:23

A secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro, manifestou, em Nova Iorque, “imensa satisfação" por os Açores se encontrarem na “vanguarda das posições mundiais” no combate às alterações climáticas.

“Há um foco e uma preocupação enormes no que diz respeito a uma ação climática mais efetiva, com compromissos que têm de ser levados a cabo por todas as instituições”, frisou Marta Guerreiro, que falava à margem da sessão de abertura da 11.ª Climate Week, que decorre até dia 29 de setembro, organizada pelo The Climate Group, uma organização internacional sem fins lucrativos.


De acordo com nota do executivo, o primeiro dia ficou marcado por comunicações de líderes mundiais, como o Presidente do Governo de Espanha, o Presidente da República da Costa Rica ou a Primeira Ministra da Dinamarca, como também o Secretário Geral da OCDE, além de presidentes executivos de empresas líderes, que, segundo Marta Guerreiro, abordaram as “mudanças urgentes e necessárias entre tons de otimismo, pelo que já está feito, e de grande preocupação, pelo que urge fazer”.


“Nos Açores, as alterações climáticas não são uma preocupação de hoje”, frisou a titular da pasta do Ambiente, citada na mesma nota, acrescentando que atualmente “ganham outra dimensão operativa através da recente aprovação do Programa Regional para as Alterações Climáticas, que tem agora que ser subsequente”.


A secretária regional destacou ainda algumas políticas públicas já em curso, que permitem fazer jus à problemática das alterações climáticas, nomeadamente a implementação da mobilidade elétrica, o aumento da penetração de fontes de energia renovável e o enfoque dado à eficiência energética.


Marta Guerreiro disse que “as alterações climáticas, pela sua abrangência universal, reclamam dos vários setores de atividade e níveis do poder mundial, europeu, nacional e local a tomada de medidas eficazes para o seu combate”.


“Este é um evento inspirador, que continua a crescer e a ganhar maior dimensão, tendo em conta a importância mundial dos temas associados à ação climática”, frisou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.