Açores com previsões de ondas de cinco metros na quarta e na quinta-feira

Açores com previsões de ondas de cinco metros na quarta e na quinta-feira

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Jan de 2018, 06:07

Várias capitanias dos Açores alertaram hoje para um agravamento do estado do mar nos grupos ocidental e central, na quarta e na quinta-feira, com previsão de ondas que podem ultrapassar os cinco metros de altura.


“A agitação marítima de noroeste pode ultrapassar os cinco metros de altura”, informou, em comunicado, João Mendes Cabeças, capitão dos portos de Angra do Heroísmo e da Praia da Vitória, referindo-se às previsões de agravamento do estado do mar nas ilhas Terceira e Graciosa (grupo central).

Também o capitão dos portos de Santa Cruz das Flores e Horta, Rafael Silva, alertou para a possibilidade de agravamento do estado do mar, no grupo ocidental (Flores e Corvo) e nas restantes ilhas do grupo central (Faial, Pico e São Jorge).

“No grupo ocidental (…), a ondulação, de nornoroeste, poderá ultrapassar os quatro metros de altura significativa no final do dia 17 e nas primeiras horas do dia 18”, apontou.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), esperam-se na quarta-feira ondas “de dois a três metros, aumentando para três a cinco metros”, em todas as ilhas dos Açores, de noroeste, no grupo ocidental, de norte/noroeste, no grupo central, e de norte, no grupo oriental (São Miguel e Santa Maria).

A previsão do IPMA para quinta-feira aponta para ondas de norte de três a quatro metros, diminuindo para dois, no grupo ocidental, e para ondas de norte de três a cinco metros, diminuindo para dois a três metros, nas restantes ilhas.

Os capitães dos portos de Angra do Heroísmo, Praia da Vitória, Santa Cruz das Flores e Horta recomendam a adoção de medidas de precaução à comunidade marítima e à população em geral, como “o reforço das amarrações das embarcações e a sua vigilância, sobretudo nas zonas mais expostas”.

As capitanias aconselham ainda que se evitem “passeios junto da orla costeira, próximo da linha de água, em particular nos molhes, piscinas naturais e zonas balneares”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.