Washington põe nigeriana Boko Haram na lista de organizações terroristas

Washington põe nigeriana Boko Haram na lista de organizações terroristas

 

Lusa/AO online   Internacional   13 de Nov de 2013, 17:28

Os Estados Unidos incluíram na sua lista de "organizações terroristas estrangeiras" as nigerianas Boko Haram e Ansaru, para ajudar a Nigéria a lutar contra os grupos islâmicos armados.

 

A classificação do Boko Haram, acusado por Washington de estar ligado à Al-Qaida do Magrebe Islâmico (AQMI), e do Ansaru, uma fação daquele grupo que se autonomizou este ano, foi anunciada pelo Departamento de Estado num comunicado.

“Esta classificação representa um passo importante, mas é apenas mais um instrumento no quadro da abordagem global do Governo nigeriano para combater aqueles grupos, que passa pela aplicação da lei, por ações políticas e de desenvolvimento, assim como por um envolvimento militar”, sublinhou a diplomacia norte-americana.

O Boko Haram é “responsável por milhares de mortes no nordeste e centro da Nigéria nos últimos anos” e o Ansaru “raptou e matou vários trabalhadores estrangeiros da construção”, segundo o Departamento de Estado.

A revolta islamita iniciou-se há quatro anos, reivindicando o Boko Haram a criação de um Estado islâmico no norte da Nigéria, maioritariamente muçulmano, ao contrário do sul, de maioria cristã.

Na semana passada, foi aprovado o prolongamento por mais seis meses do estado de emergência decretado em maio para o noroeste, concretamente os estados de Adamawa, Borno e Yobe, áreas onde rebeldes daquele movimento islâmico ocuparam território e expulsaram autoridades locais, ameaçando a soberania da Nigéria.

A declaração do estado de emergência em maio foi seguida do lançamento de uma ofensiva para acabar com as ações do Boko Haram, que incluiu o destacar de milhares de tropas e poder aéreo para o nordeste.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.