Vasco Cordeiro garante “mobilização total” para minimizar efeitos da aplicação de taxas adicionais a produtos da UE

Vasco Cordeiro garante “mobilização total” para minimizar efeitos da aplicação de taxas adicionais a produtos da UE

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   25 de Out de 2019, 16:29

O Presidente do Governo garantiu esta sexta-feira que o executivo açoriano está, desde maio, a proceder à “mobilização total” dos mecanismos ao seu alcance para minimizar os efeitos na Região da aplicação, por parte dos Estados Unidos da América, de tarifas adicionais sobre bens e produtos importados da União Europeia, como os lacticínios.

“Este é um trabalho que, da parte do Governo dos Açores, decorre desde o início de maio, quer face ao Governo da República, quer face ao próprio Governo dos EUA, no sentido de salientar o que significa, para uma Região como os Açores, a aplicação destas medidas”, afirmou Vasco Cordeiro, citado em nota.

 

Falando na cerimónia de entrega dos prémios “Produtor Excelente 2018”, promovida pela Associação de Jovens Agricultores Micaelenses, o Presidente do Governo salientou não ser aceitável que os “Açores sejam atingidos por este fogo cruzado entre os Estados Unidos e a União Europeia em áreas que nada têm a ver com aquilo que releva para a nossa Região”, como os produtos lácteos.

 

“Não reste a menor dúvida em relação à mobilização de tudo aquilo que o Governo dos Açores pode mobilizar, de todos os instrumentos, para fazer face a esta situação”, assegurou Vasco Cordeiro, ao recordar que a decisão da Administração norte-americana, não tendo a ver diretamente com o sector agrícola, atinge de forma direta a exportação de produtos lácteos, caso dos queijos, para os EUA.

 

“Quer do ponto de vista da rede de influência que o Governo dos Açores construiu, ao longo dos anos, nas instituições políticas dos EUA, quer junto da Embaixada dos EUA em Portugal, quer junto do Governo da República, tudo está a ser mobilizado para ultrapassarmos esta situação”, garantiu Vasco Cordeiro.

 

Segundo disse, quer seja através de medidas do próprio Governo da República para compensar os agricultores por esta situação, seja por via de esforços diplomáticos, importa assegurar que, se há zona da Europa onde não faz sentido a aplicação cega dessa medida, é exatamente os Açores, desde logo, pelas fortes ligações com os Estados Unidos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.