União da Madeira requer a suspensão das competições e quer intervenção da PGR


 

Lusa/Ao online   Nacional   22 de Jul de 2018, 09:53

O União da Madeira, equipa que desceu ao Campeonato de Portugal de futebol, vai requerer junto da Liga Portuguesa de Futebol a suspensão imediata de todas as competições oficiais da próxima temporada, informou o clube madeirense em comunicado.

A situação surge face à decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, de deduzir uma acusação contra o Santa Clara, pelo treinador Carlos Pinto não ter as qualificações exigidas para orientar a equipa na Liga 2.

O técnico teria apenas o curso de segundo nível sendo exigido o quarto, o que pode levar os açorianos a incorrerem numa pena, segundo determina o despacho do Conselho de Disciplina, de derrota nos jogos que disputaram a partir do 45.º dia em que não resolveram a situação do treinador.

Face a esta nova situação, o União da Madeira informou que, na qualidade de denunciante no processo disciplinar, irá requerer junto ao Presidente da Liga "a suspensão imediata de todas as competições oficiais da Liga Portugal 2018/2019, até conclusão do presente processo disciplinar".

Uma situação que, segundo o clube, “poderá ditar uma alteração profunda na classificação final da Liga" pois envolve "quatro equipas na luta pela manutenção", no caso o União da Madeira, Sporting B, Braga B e Santa Clara e a promoção do Académico de Viseu à I Liga.

Recorde-se que o Santa Clara esteve também envolvido num outro caso no final da época passada, pela não inscrição de dois jogadores sub-23 em algumas jornadas, uma situação, entretanto, decidida com uma multa.

Na mesma nota, o clube diz que vai requerer também a “intervenção da Senhora Procuradora Geral da República” e um “inquérito judicial à Liga, com vista ao apuramento da legalidade dos procedimentos e métodos utilizados na I Liga Portugal”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.