Turistas americanos em Portugal disparam em dormidas e receitas este ano

Turistas americanos em Portugal disparam em dormidas e receitas este ano

 

Lusa/AO online   Economia   27 de Out de 2013, 10:22

Portugal está a assistir em 2013 a um aumento de 19,9% nas dormidas de turistas norte-americanos em Portugal, acompanhado de uma subida de 28,9% nas receitas, fazendo dos EUA o quinto maior mercado turístico.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), entre janeiro e agosto as dormidas de visitantes provenientes dos Estados Unidos cresceram 19,9%, 3,6 pontos percentuais acima do segundo maior crescimento registado nos primeiros oito meses do ano, que pertence à Irlanda.

De acordo com dados divulgados na semana passada pelo Banco de Portugal e compilados pelo Turismo de Portugal, as receitas geradas por turistas norte-americanos cresceram 28,9% nos primeiros oito meses do ano face a igual período de 2012, tendo um pico de 68% em junho, de longe superior aos crescimentos registados nos restantes países que mais contribuem para o setor.

Desta forma, entre janeiro e agosto, França continuou a ser o maior país em termos de receitas para o turismo nacional, seguida do Reino Unido, Espanha e Alemanha, com os EUA a ultrapassarem Angola e estabeleceram-se na quinta posição.

Em termos de dormidas, os maiores crescimentos, a seguir aos turistas vindos dos EUA, verificaram-se junto dos irlandeses (16,3%), franceses (12,8%), alemães (11,2%) e britânicos (10,8%).

O setor da hotelaria recuperou em agosto, com mais dormidas e mais hóspedes, que resultaram em crescimentos de 5,4 e 6% respetivamente, em termos homólogos, segundo os indicadores da atividade turística do INE.

As dormidas de não residentes foram as que mais contribuíram para a evolução positiva, aumentando 8,5% e reforçando a subida de 6% registada em julho, mas os turistas nacionais voltaram também a procurar os hotéis em agosto, garantindo um ligeiro aumento de 0,3%, após o decréscimo de 1,3% em julho.

No total, os estabelecimentos hoteleiros receberam 1,9 milhões de hóspedes em agosto (6,4 milhões de dormidas) que geraram 310,5 milhões de euros de proveitos totais (gastos com alojamento, restauração e outros serviços) e 235,6 milhões de euros em proveitos de aposento (gastos só com a dormida), correspondentes a crescimentos homólogos de 4,6 e 5,8%, respetivamente.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.