Três mortos durante resgate de comerciante em Caracas


 

Lusa/AO online   Internacional   6 de Dez de 2007, 10:22

A polícia venezuelana anunciou hoje que três raptores morreram após um tiroteio com as autoridades, durante uma operação de resgate da comerciante Gregranni Domati Silva, proprietária de um restaurante em Las Mercedes, leste de Caracas.
     Segundo o Corpo de Investigações Científicas Penais e Criminais (CICPC), antiga Polícia Técnica Judiciária, o tiroteio ocorreu no bairro El Onoto, em Caricuao, a oeste de Caracas, onde a comerciante permanecia em cativeiro.

    O sequestro de Gregranni Domati Silva, 64 anos, que várias fontes dizem ser de origem italiana e estar casada com um português, ocorreu a 30 de Novembro, quando a vítima saía de um restaurante do qual é proprietária.

    Os sequestradores foram identificados e localizados pela polícia, revelou o comissário Sérgio Gonzáles, chefe da Divisão Anti-Extorsão e Sequestro do CICPC.

    Um dos raptores, Alfredo Renato Machado, conhecido como "Memín", alugou recentemente uma casa no bairro El Onoto, onde dois homens e uma mulher cuidavam da sequestrada, enquanto negociavam o frustrado pagamento de um resgate pelo qual pediram a quantia de 1.500 milhões de bolívar (aproximadamente 480 mil euros).

    A polícia procura outros cinco indivíduos que fugiram num veículo Chevrolet Aveo, cinzento-escuro, suspeitos de integrar um gang que realizava sequestros em Caracas e no vizinho Estado de Vargas (30 quilómetros a norte da capital).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.