Tibério Dinis destaca melhoria da quantidade e qualidade da água de consumo

Tibério Dinis destaca melhoria da quantidade e qualidade da água de consumo

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   13 de Dez de 2018, 15:53

O presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, considerou esta quinta-feira “um dia histórico” para o concelho, ao marcar o arranque da empreitada de adução e abastecimento de água a Santa Rita/Juncal, “que vai melhorar, substancialmente, a qualidade e a quantidade de água de consumo distribuída a 20% população”.

Na cerimónia de lançamento da obra, orçada em cerca de 2 milhões de euros, 85% comparticipados por fundos comunitários e os restantes 15% suportados pelo Fundo Ambiental, gerido pelo Ministério do Ambiente do Governo da República, Tibério Dinis salientou vários aspetos “que tornam esta empreitada muito mais do que uma mera obra de abastecimento de água”.


“Por um lado, estamos a falar de uma obra que vai melhorar, substancialmente, a qualidade e a quantidade de água para consumo de cerca de 20% da população, de 4 freguesias do Concelho (São Brás, Fontinhas, Vila das Lajes e Santa Cruz), nos quais se incluem os 120 fogos de habitação social e o chamado Bairro dos Americanos de Santa Rita”, afirmou, citado em nota de imprensa


Por outro lado, “esta empreitada vai substituir, definitivamente, a obsoleta rede militar de água que abastece uma zona significativa de Santa Rita, a partir da Base das Lajes. Assim, pela primeira vez, a empresa Praia Ambiente e a Câmara Municipal da Praia vão abastecer toda a população civil do Concelho, o que é histórico, dentro da história da Praia, do século XX”.


Outra vantagem desta empreitada, acrescentou Tibério Dinis, “prende-se também com a desativação final do célebre furo Juncal II. Tem cerca de 60 anos, está obsoleto para as necessidades dos dias de hoje, tem enorme introdução salina, e é também um dos furos onde sempre houve risco da contaminação chegar, apesar de, até hoje, nunca lá ter chegado”.


Tibério Dinis recordou ainda a assinatura de dois protocolos, um com o Ministério da Defesa Nacional e, outro com o Ministério do Ambiente, que tornaram possível a realização da empreitada: “O protocolo assinado com o Ministro da Defesa assegurou que, até finais de 2020, não haverão interrupções no abastecimento de água, por parte da rede militar, à zona de Santa Rita; já o protocolo com o Ministério do Ambiente, por via do Fundo Ambiental, assegura que os 15% de custos da obra não financiados por fundos comunitários são suportados pelo Governo da República. Esta é a primeira intervenção direta, ao fim de muitos e muitos anos, por parte da República na Praia da Vitória”.


Quanto à empreitada, a mesma foi adjudicada ao consórcio Tecnovia Açores – Sociedade de Empreitadas, SA e Marques SA, tendo um prazo de execução previsto de 450 dias.


Explica nota da autarquia que com esta obra serão introduzidas na rede de abastecimento de água do concelho da Praia da Vitória 14,6 quilómetros de novas condutas, permitindo-se ainda a entrada na rede de mais 18,4 mil litros de água por minuto.





Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.