BCE

Taxas de juro a nível "apropriado", afirma Trichet

Taxas de juro a nível "apropriado", afirma Trichet

 

Lusa / AO online   Economia   8 de Out de 2009, 17:34

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, voltou esta quinta-feira a considerar "apropriado" o actual nível das taxas de juro e a destacar a ausência de pressões inflacionistas a médio prazo.
Trichet falava na tradicional conferência de imprensa que se realizou após o anúncio das decisões de política monetária do BCE, cujo conselho de governadores se reuniu este mês em Veneza.

Como esperado, a instituição manteve as suas taxas inalteradas, com a principal taxa de referência no mínimo histórico de 1 por cento.

O presidente do BCE declarou esperar uma retoma progressiva da economia da zona euro, mesmo se "as incertezas continuam excepcionalmente elevadas".

"Vemos sinais de estabilização desde o segundo trimestre", sublinhou o economista francês. "Saímos do período de queda livre que caracterizou os dois trimestres anteriores", acrescentou.

"Temos de continuar atentos (...) e não devemos declarar que esta crise terminou", disse ainda, observando que o BCE antevê "uma retoma acidentada", suportada "a curto prazo por factores temporários, mas afectada a médio prazo por questões de balanços nas instituições financeiras e não financeiras".

No que respeita à taxa de câmbio do euro/dólar, Trichet considerou "extremamente importante nas circunstâncias actuais" que o compromisso expresso das autoridades norte-americanas a favor de um dólar forte.

"O excesso de volatilidade e os movimentos desordenados das taxas de câmbio têm implicações nefastas para a estabilidade financeira e económico", insistiu, retomando os contornos da declaração sobre os câmbios recentemente feita pelos ministros das Finanças do G7.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.