Açoriano Oriental
Taxa de desemprego sobe para os 7,8% no 3.º trimestre

A taxa de desemprego foi de 7,8% no terceiro trimestre, valor superior em 2,2 pontos percentuais ao do trimestre anterior e em 1,7 pontos percentuais ao do trimestre homólogo de 2019, divulgou hoje o INE.

Taxa de desemprego sobe para os 7,8% no 3.º trimestre

Autor: Lusa/AO Online

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), entre julho e setembro, a população desempregada, estimada em 404,1 mil pessoas, aumentou 45,1% (125,7 mil) em relação ao trimestre anterior, o que corresponde à taxa de variação trimestral mais elevada da série iniciada em 2011.

Em relação ao trimestre homólogo, a população desempregada aumentou 24,9% (80,7 mil pessoas).

A população inativa com 15 e mais anos, foi estimada em 3,7 milhões de pessoas, diminuindo 4,8% (185,8 mil) relativamente ao trimestre anterior e aumentando 3,0% (108,5 mil) em relação ao trimestre homólogo.

“A redução trimestral da população inativa foi acompanhada pelo aumento da população desempregada e, em menor grau, da população empregada”, refere o INE.

A transição da inatividade para o desemprego refletiu, segundo o instituto, o alívio das condicionantes à mobilidade e contacto social existentes no segundo trimestre que decorreram da pandemia, permitindo uma maior facilidade na procura ativa de emprego e disponibilidade para começar a trabalhar, critérios cujo cumprimento é necessário para a classificação enquanto desempregado.

A subutilização do trabalho - que agrega a população desempregada, o subemprego de trabalhadores a tempo parcial, os inativos à procura de emprego, mas não disponíveis e os inativos disponíveis, mas que não procuram emprego - abrangeu, por sua vez, 813,7 mil pessoas, tendo aumentado 8,7% (65,0 mil) em relação ao trimestre anterior e 21,9% (146,0 mil) em relação ao homólogo.

A taxa de subutilização do trabalho, estimada em 14,9%, aumentou 0,9 pontos percentuais relativamente ao trimestre precedente e 2,7 pontos percentuais por comparação com um ano antes.

O aumento da subutilização do trabalho foi explicado maioritariamente pelo aumento do desemprego, indica o INE.

A população empregada, por sua vez, aumentou 1,5% abrangendo um total de cerca de 4,8 milhões de pessoas (mais 68,7 mil) por comparação com o trimestre anterior, mas diminuiu 3,0% (147,9 mil) em relação ao homólogo.

Simultaneamente, a população empregada ausente do trabalho na semana de referência diminuiu 24,4% (263,3 mil) em relação ao trimestre anterior e aumentou 6,5% (49,4 mil) relativamente ao 3.º trimestre de 2019.

De modo semelhante, observou-se um acréscimo trimestral de 17,4% e uma redução homóloga de 7,2% do volume de horas efetivamente trabalhadas, refere o INE.

Por regiões, no terceiro trimestre de 2020, a taxa de desemprego foi superior à média nacional em quatro regiões do país: Área Metropolitana de Lisboa (9,5%), Madeira (8,6%), Algarve (8,5%) e Norte (7,9%).

Nos Açores (6,7%), no Alentejo (6,2%) e no Centro (5,8%) as taxas de desemprego ficaram abaixo daquele valor.

Em relação ao trimestre anterior, a taxa de desemprego aumentou em todas as regiões.

Os dois maiores acréscimos trimestrais foram observados na Área Metropolitana de Lisboa (3,0 pontos percentuais) e no Alentejo (2,9 pontos percentuais).

Em termos homólogos, a taxa de desemprego aumentou em cinco regiões e diminuiu em duas.

Os dois maiores acréscimos verificaram-se no Algarve (3,2 pontos percentuais) e na Área Metropolitana de Lisboa (3,1 pontos percentuais), enquanto os dois únicos decréscimos se observaram nos Açores (0,6 pontos percentuais) e no Alentejo (0,8 pontos percentuais).


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.