Taxa de desemprego sobe em agosto pela primeira vez desde fevereiro de 2016

Taxa de desemprego sobe em agosto pela primeira vez desde fevereiro de 2016

 

Lusa/AO Online   Economia   30 de Out de 2018, 11:05

A taxa de desemprego subiu pela primeira vez desde fevereiro de 2016 para 6,9% em agosto, divulgou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), que reviu assim em alta a estimativa provisória divulgada há um mês.

“Em agosto de 2018, a taxa de desemprego situou-se em 6,9%, mais 0,1 pontos percentuais que no mês anterior, menos 0,1 pontos percentuais em relação a três meses antes e menos 1,8 pontos percentuais que no mesmo mês de 2017”, refere.

A taxa de desemprego apurada para agosto pelo INE corresponde a uma revisão em alta, de 0,1 pontos percentuais, da estimativa provisória divulgada há um mês.

É a primeira vez, desde fevereiro de 2016, que se observa um aumento mensal da taxa de desemprego, sinaliza o instituto.

Em agosto de 2018, a população desempregada foi estimada em 358,6 mil pessoas, tendo aumentado 2,4% (8,4 mil) em relação a julho de 2018 e diminuído 1,3% (4,7 mil) em comparação com maio de 2018 e 20,5% (92,3 mil) em relação a agosto de 2017.

Este valor representa uma revisão em alta, de 1,7% (6,1 mil), da estimativa provisória.

As taxas de desemprego dos jovens e dos adultos no mesmo mês avançaram para 20,3% (dos 19,7% apurados em julho) e 5,9% (dos 5,8% do mês precedente).

Para setembro, o INE faz uma estimativa provisória da taxa de desemprego de 6,6%, o que representa uma diminuição de 0,3 pontos percentuais em relação ao mês anterior e 1,9 pontos percentuais em comparação com setembro de 2017.

Em setembro de 2018, a população desempregada – cuja estimativa provisória foi de 340,4 mil pessoas – diminuiu 5,1% (18,2 mil) em relação ao mês anterior (agosto de 2018), 3,4% (11,8 mil) em relação a três meses antes (junho de 2018) e 22,7% (100,1 mil) em comparação com o mês homólogo.

As taxas de desemprego dos jovens e dos adultos foram estimadas em 19,6% e 5,6%, respetivamente, com ambas diminuíram em relação ao mês precedente (0,7 pontos percentuais e 0,3 pontos percentuais, respetivamente), de acordo com as estimativas provisórias do INE.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.