Strauss-Kahn pede a Pequim que reforce o yuan


 

Lusa / AO online   Economia   16 de Nov de 2009, 10:37

O director-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, pediu esta segunda-feira em Pequim que sejam reforças algumas moedas asiáticas, em particular o yuan chinês.
Depois de sublinhar os esforços da China para reequilibrar a sua economia e estimular o consumo das famílias, Strauss-Kahn afirmou que "uma moeda mais forte faz parte do pacote de reformas necessárias".

"Uma subida do renminbi (outro nome para o yuan) e de outras moedas asiáticas ajudaria a aumentar o poder de compra das famílias e seria um bom incentivo para reorientar o investimento, disse Strauss-Kahn, falando num fórum financeiro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.