Stevie Wonder, Coldplay e uma mão cheia de portugueses nos últimos dias do festival


 

Lusa/AO Online   Internacional   29 de Set de 2011, 08:48

 O músico norte-americano Stevie Wonder é a grande estrela hoje no festival Rock in Rio, no Rio de Janeiro, Brasil, num evento onde vão atuar ainda vários artistas portugueses.

A segunda parte do festival na cidade do samba começa hoje e termina no domingo, com uma série de propostas que volta a extravasar o domínio do rock, como Shakira e Ivete Sangalo.

Stevie Wonder é o cabeça de cartaz de hoje no Palco Mundo, depois das atuações de nomes como Legião Urbana, Janelle Monáe e Jamiroquai.

Na sexta-feira o destaque vai para a colombiana Shakira, que fechará a noite depois de Ivete Sangalo e Lenny Kravitz.

O palco principal, na sexta-feira, é ocupado pelos britânicos Coldplay, à beira de editarem um novo álbum, "Xylo Myloto", ou pelos Maroon 5, contratados depois do rapper Jay-Z ter cancelado a atuação no festival.

O Rock in Rio termina no domingo, dia 02 de outubro, com os Guns n'Roses, banda que esteve no festival em 1991 e em 2001.

No palco Sunset, feito de partilhas entre diferentes músicos, estão agendados vários concertos de artistas portugueses.

O primeiro a entrar em cena é o rapper português Boss AC, que dividirá o palco com Afrika Bambaataa e Paula Lima.

Na sexta-feira estarão os Buraka Som Sistema com os brasileiros Mix Hell, à boleia de uma parceria no novo álbum do grupo português, "Komba", a editar em outubro.

David Fonseca apresenta-se no domingo, 02 de outubro, com os espanhóis The Monomes, num palco em que os Titãs tocarão com os Xutos & Pontapés.

Esta parceria do grupo rock brasileiro com o grupo rock português deverá repetir-se em 2012, no Rock in Rio Lisboa.

No palco Sunset, destaque ainda para as atuações brasileiras dos Mutantes com Tom Zé, da cantora Tiê com Jorge Drexler, da artista Céu com João Donato.

O festival Rock in Rio teve início no dia 23, num recinto com cerca de 150 mil metros quadrados na zona Oeste da cidade, perto da lagoa de Jacarepaguá.

O evento, que retornou à cidade ao fim de dez anos, está esgotado há meses e espera, no total, 700 mil pessoas.

Nos primeiros dias, à enchente de espetadores juntaram-se críticas por causa da segurança - registaram-se dezenas de assaltos e longas filas de trânsito, com acessos cortados no perímetro da Cidade do Rock e toneladas de lixo acumulado no recinto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.