Sócrates reitera empenho de Portugal no processo de transição no Afeganistão

Sócrates reitera empenho de Portugal no processo de transição no Afeganistão

 

Lusa/AO Online   Internacional   20 de Nov de 2010, 09:33

O primeiro-ministro português, José Sócrates, realçou hoje o início da “nova fase” da estratégia da NATO para o Afeganistão, destacando o empenho de Portugal em reforçar a formação das tropas afegãs.

“O Afeganistão é uma das decisões mais importantes desta cimeira. Vamos iniciar uma nova fase, uma nova estratégia para o Afeganistão”, afirmou o chefe do Governo português, em declarações aos jornalistas portugueses, à entrada do segundo dia de trabalhos da cimeira da NATO, a decorrer na FIL (Feira Internacional de Lisboa).

Na capital portuguesa, espera-se que os dirigentes internacionais possam aprovar um plano de transição, que prevê a transferência de responsabilidades para o governo de Cabul no início de 2011, com o objetivo de que este assuma um papel central em 2014.

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, lidera a delegação do seu país a uma reunião dos países participantes na Força Internacional de Segurança e Assistência (ISAF), cujos trabalhos estão a decorrer na FIL.

“A fase de transição significa que o foco das actividades da Aliança vai ser o treino das forças afegãs para as capacitar, para assumirem as suas responsabilidades de soberania, de ordem pública e de defesa e segurança”, referiu José Sócrates.

Como tal, sublinhou o primeiro-ministro, é nesta etapa que “Portugal vai estar empenhado” ao “reforçar e duplicar a presença de formadores, quer do Exército quer da GNR”.

O ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, divulgou sexta-feira que vai propor o envio de mais 40 formadores para a missão da ISAF no Afeganistão e que esta nova força incluirá militares da GNR.

O ministro da Defesa português sublinhou, na mesma altura, que desta forma Portugal passará a ter quase 250 militares na missão da ISAF.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.