Sócrates escolhe plano tecnológico dos serviços públicos para tema do debate mensal


 

Lusa/AO   Nacional   21 de Set de 2007, 06:10

O primeiro-ministro, José Sócrates, escolheu para tema do debate mensal, hoje, na Assembleia da República", o "Plano Tecnológico nos serviços públicos".
A escolha do primeiro debate mensal da presente sessão legislativa com o chefe do Governo foi comunicado às diferentes bancadas pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva.

    Na sequência da aprovação da reforma do Parlamento, o debate mensal com o primeiro-ministro será diferente, com uma volta de hora e meia, em vez de três voltas.

    Os partidos acordaram, no entanto, que só passará a quinzenal em Janeiro, finda a presidência portuguesa da União Europeia.

    Na sua vez de interpelar José Sócrates, os partidos terão tempos globais - que vão dos três minutos, para "Os Verdes", aos nove, para o PS e o PSD - para repartirem como quiserem.

    Com as alterações introduzidas, a mesma flexibilidade na gestão do tempo aplica-se às respostas do primeiro-ministro.

    A área das novas tecnologias tem sido uma das duas prioridades ao longo deste mês em termos de agenda política do Governo, quer ao nível da presidência portuguesa da União Europeia, quer a nível nacional.

    Num discurso feito na sessão de abertura da conferência ministerial de e-Government, que decorrerá até hoje em Lisboa, o primeiro-ministro afirmou que Portugal está "na linha da frente" em matéria de Governo electrónico, atribuindo esse "sucesso" à vontade política do seu executivo, que definiu como prioridade a modernização administrativa.

    O primeiro-ministro referia-se a um estudo da Comissão Europeia que revela que Portugal subiu sete lugares nos rankings de 2007 do governo electrónico e que já é o terceiro país da UE na disponibilidade de serviços públicos on-line.

    "Este sucesso, reconhecido pela Europa, diz a todos os países que é possível fazer uma modernização da Administração Pública, basta vontade política", disse José Sócrates, recordando a aposta do Governo no Plano Tecnológico.

    O Diário da República Electrónico, a Empresa na Hora e o Cartão Único Automóvel foram os três casos concretos apontados pelo primeiro-ministro para exemplificar que é possível, com "insistência e persistência", modernizar a administração pública.

    O chefe do executivo salientou que o e-Government é uma das prioridades da presidência portuguesa da União Europeia e do Governo português, sustentando que o governo electrónico deve ser uma prioridade, não só pelo papel desempenha no crescimento económico, mas, "fundamentalmente, porque é essencial para que o Estado possa cumprir o seu dever de servir os cidadãos".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.