Casamento Homosexual

Socialistas católicos esperam que Sócrates avance para referendo


 

Lusa/AO Online   Nacional   3 de Nov de 2009, 10:51

Cláudio Anaia, desafiou José Sócrates, a ter "coragem política" para avançar com um referendo sobre o casamento homossexual.

"A posição do Governo no programa é muito subjectiva e vaga, por isso esperamos que o primeiro-ministro, José Sócrates, demonstre agora coragem pessoal e política para realizar um referendo nacional sobre este tema", afirmou Cláudio Anaia em declarações à agência Lusa.

O Programa do XVIII Governo Constitucional, entregue na segunda-feira no Parlamento, promete remover as barreiras jurídicas para que seja possível a realização de casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

A abertura aos casamentos entre homossexuais faz parte do programa político dos socialistas desde o último congresso do PS, em Fevereiro deste ano.

Segundo Cláudio Anaia, os socialistas católicos esperavam que a questão da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo fosse "mais clara" no programa do Governo, nomeadamente naquilo que diz respeito à adopção.

Esta questão deve assim ser submetida a referendo "para que todos os portugueses se possam pronunciar sobre esta matéria", referiu o responsável, lembrando que os socialistas católicos estão dispostos a promover a recolha de 75 mil assinaturas para conseguir a sua realização.

Cláudio Anaia acredita, no entanto, que o casamento homossexual não terá o parecer favorável da maioria dos portugueses.

"Trata-se, como a questão do aborto, de uma questão de consciência transversal aos eleitores dos vários partidos políticos", disse.

Assim, acrescentou, ainda que seja incluída no programa do Governo, "não pode dizer-se que a generalidade dos eleitores desse partido a sufrague".

Os socialistas católicos são um movimento iniciado em 1997 - que surgiu da luta contra a legalização do aborto - composto actualmente por entre 30 a 40 pessoas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.