Açoriano Oriental
Saúde e educação são fundamentais para fixar pessoas na Graciosa

O presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, na ilha Graciosa, nos Açores, considerou que a saúde e a educação são “fundamentais” para a fixação de pessoas no território, principalmente de jovens casais.

Saúde e educação são fundamentais para fixar pessoas na Graciosa

Autor: Lusa/AO Online

“As questões demográficas são, efetivamente, o que nos preocupa mais. […] Nós trabalhamos diariamente para que as possamos reduzir, [para] melhorar toda a situação de fixação de pessoas na ilha”, disse António Reis (coligação Somos Todos Graciosa PSD/CDS-PP/PPM).

O autarca falava aos jornalistas no final de uma reunião com o Governo Regional dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), realizada no Salão Nobre da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa, no primeiro dia da visita estatutária do executivo à ilha Graciosa.

Segundo António Reis, a Câmara Municipal já tem um apoio à natalidade (mil euros por cada criança nascida ou adotada no concelho) e o executivo atua diariamente para melhorar as condições básicas de vida da população.

No final do encontro, o presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, também manifestou preocupação com a “depressão demográfica” verificada na ilha Graciosa.

“Nós precisamos de ter políticas que promovam, desde logo, a contenção da depressão demográfica e até mesmo também reconhecer o impacto desta pirâmide etária que a Graciosa tem”, assumiu.

A este propósito, José Manuel Bolieiro recordou que o Governo Regional tem já “fortes políticas de caráter social, para apoio e incentivo” à natalidade, para “desonerar os custos do orçamento familiar com a família e designadamente com filhos” e também com os idosos, “visto que a faixa etária da Graciosa tem mais idosos do que as outras ilhas”.

“Estamos a trabalhar fortemente nessa matéria”, garantiu aos jornalistas.

Na saúde, adiantou, o executivo açoriano está a trabalhar no sentido de fixar médicos nas ilhas que não têm hospital, como o caso da Graciosa, e criar “acessibilidade garantida” aos cuidados primários de saúde, aproveitando as capacidades do futuro “hospital digital”.

Como potencial da ilha Graciosa, José Manuel Bolieiro destacou o turismo e valorização das termas locais, para que o termalismo seja “uma boa oportunidade de atração”.

No primeiro dia da visita estatutária à Graciosa, o chefe do Governo Regional dos Açores lançou ainda a primeira pedra de ampliação da Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI) da Santa Casa da Misericórdia da Vila da Praia, um investimento no valor global de 796 mil euros.

Com a empreitada, que terá uma duração de dez meses, serão criadas 17 vagas, para uma capacidade final de 41 utentes.

A Santa Casa da Misericórdia da Vila da Praia desenvolve atividade nas áreas da infância, juventude e idosos.

Numa intervenção da cerimónia, presidente do Governo Regional recordou que em novembro de 2022 visitou o lar de idosos, tendo na altura falado da remodelação e ampliação do equipamento.

Um ano depois, está-se a lançar a primeira pedra da empreitada, salientou.

“Não é muito habitual. […] Quero eu acentuar que isso revela o nosso sentido de prioridade, o entendimento que fizemos desta necessidade e a disponibilidade de ambas as instituições para a cooperação”, disse.

O secretário da Santa Casa da Misericórdia da Vila da Praia, João Melo, destacou também que o investimento na ampliação da ERPI “vem melhorar todo o serviço do lar de idosos e aumentar a sua capacidade”.

O Governo dos Açores iniciou uma visita estatutária de dois dias à ilha Graciosa.

Segundo o Estatuto dos Açores, o Governo Regional tem de visitar cada uma das ilhas do arquipélago pelo menos uma vez por ano, com a obrigação de reunir o Conselho do Governo na ilha visitada.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados