Eleições no PSD

Santana Lopes apela ao "bom senso"


 

Lusa / AO online   Nacional   26 de Set de 2007, 17:47

O antigo líder do PSD Pedro Santana Lopes apelou esta quarta-feira ao "bom senso" dentro do partido, defendendo o adiamento das eleições directas de sexta-feira até os cadernos eleitorais estarem estabilizados.

"A presidente da mesa do congresso [Manuela Ferreira Leite] ou o presidente do Conselho de Jurisdição Nacional, Guilherme Silva, ou os dois em conjunto, deviam adiar as eleições até estar claro quem tem direito a voto", disse Santana Lopes, em declarações aos jornalistas no Parlamento.

“É uma questão de bom senso”, afirmou.

Apelando a Manuela Ferreira Leite para que "até ao final do dia" tome uma posição, Santana Lopes considerou que "haver eleições num quadro destes não é próprio da democracia".

Como solução, Santana Lopes advogou, assim, o adiamento das eleições directas para a liderança do PSD, para permitir que "um órgão jurisdicional exterior ao partido", como a Comissão Nacional de Eleições, o Tribunal Constitucional ou mesmo um tribunal administrativo, possam "fixar as regras".

"Depois, deve haver um período de uma semana ou 15 dias, para se cumprirem as regras", adiantou, considerando que "alguém tem por ordem na casa" para terminar a situação "inqualificável" que o partido vive.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.