SAD do Benfica entra em situação de falência técnica


 

Lusa/AO Online   Economia   2 de Nov de 2009, 13:30

A Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Benfica passou em 30 de Junho de 2009 a ter capitais próprios (activo menos passivo) negativos, situação geralmente considerada como de falência técnica, revela o relatório e contas 2008/2009.

A SAD do Benfica passou de uma situação líquida positiva de 23,03 milhões de euros de capitais próprios em 30 de Junho de 2008, ainda assim uma insuficiência de capitais próprios face ao artigo 35.º do Código das Sociedades Comerciais, para capitais próprios negativos em quase 11,83 milhões de euros no fim do último exercício fiscal.

O relatório e contas consolidado 2008/2009 da SAD do Benfica indica que o accionista Sport Lisboa e Benfica mantém a intenção de promover um aumento de capital através da entrada em espécie das acções detidas na Benfica Estádio e posterior fusão entre as duas sociedades como medida para cumprir o disposto no artigo 35.º do Código das Sociedades Comerciais.

O referido Código considera que há insuficiência de capitais próprios quando estes são iguais ou inferiores a metade do capital social (que no caso do Benfica é de 75 milhões e cinco euros).

Quando há insuficiência de capitais próprios, as sociedades cotadas devem mencionar nos seus relatórios e contas as medidas que tencionam adoptar para ultrapassar essa situação.

O Benfica é o segundo dos três maiores clubes a entrar numa situação geralmente identificada como de falência técnica, depois de a SAD do Sporting ter agravado os seus capitais próprios negativos de menos 2,6 milhões de euros em 30 de Junho do ano passado para menos 15,98 milhões de euros em igual data de 2009, segundo o relatório e contas 2008/2009.

O FC Porto, embora mantenha uma situação de insuficiência de capitais próprios (22,78 milhões de euros em 30 de Junho de 2009, inferior a metade dos 75 milhões de euros de capital social), melhorou a sua situação, dado que em 30 de Junho de 2008 os capitais próprios eram da ordem dos 17,7 milhões de euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.