Roma abre inquérito por fraude fiscal contra Silvio Berlusconi


 

Lusa/AO online   Internacional   15 de Out de 2010, 17:01

A procuradoria-geral de Roma abriu uma investigação por fraude fiscal contra o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, o seu filho mais velho, Piersilvio, vice-presidente do grupo de televisão Mediaset e uma dezena de outros dirigentes, foi anunciado esta sexta-feira.
Segundo as agências italianas, a procuradoria abriu a investigação no âmbito do julgamento que decorre em Milão sobre os direitos televisivos do grupo Meadiset, suspeito de fraude fiscal nas contas da RTI (Rede televisiva italiana, filial a 100 por cento da Mediaset) em 2003-2004.

No julgamento actualmente em curso em Milão, o chefe do governo italiano já é acusado de fraude fiscal.

Este julgamento foi suspenso à espera de uma decisão do Tribunal Constitucional – prevista para meados de Dezembro – sobre um decreto do ministro da Justiça, Angelino Alfano, que dá imunidade penal aos responsáveis pelas mais altas funções governamentais durante o mandato, incluindo o de presidente do Conselho.

A Mediaset, propriedade da holding Fininvest de Sílvio Berlusconi, obteve um benefício liquido, 241,6 milhões de euros, no primeiro semestre deste ano, mais 33,7 por cento do que em período homólogo de 2009.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.