Europeias

Rio recusa comentar lista do PSD “em público”

Rio recusa comentar lista do PSD “em público”

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Fev de 2019, 16:50

O presidente do PSD, Rui Rio, afirmou, esta terça-feira, que não irá falar “em público” sobre a lista do partido às próximas europeias, apenas reafirmando que Mota Amaral foi o nome indicado pela Comissão Política Regional dos Açores.

Fonte social-democrata disse à Lusa que o antigo presidente da Assembleia da República Mota Amaral não aceita integrar o oitavo lugar na lista do PSD às eleições europeias de 26 de maio, que lhe teria sido sugerido pela direção nacional do partido.

Aos jornalistas, durante uma visita ao SISAB 2019, salão internacional do setor alimentar e bebidas, em Lisboa, Rui Rio recusou confirmar se Mota Amaral entrará ou não na lista e se esta está “fechada, aberta ou entreaberta”.

Durante a visita, aliás, o tema foi introduzido pela TSF dos Açores que, depois de ter questionado Rui Rio sobre os seus produtos preferidos da região, - sendo um deles a manteiga – questionou o líder social-democrata sobre o futuro de Mota Amaral na lista europeia.

“Passa assim direto do queijo e da manteiga para o doutor Mota Amaral?”, questionou Rio.

No final, perante a insistência dos jornalistas, o líder do PSD apenas reafirmou o que já é conhecido há semanas: que o PSD/Açores indicou o nome do antigo presidente da Assembleia da República como seu representante na lista europeia.

Sobre o ‘timing’ de apresentação da lista completa – apenas é conhecido o número um, o eurodeputado Paulo Rangel - Rui Rio remeteu para o final do mês a definição dos primeiros lugares, mas sem esclarecer quando fará a sua divulgação.

“Relativamente aos nove ou dez primeiros, irei ver o momento, não em que fecho, já tenho na cabeça, mas o momento em que anuncio”, afirmou, rejeitando que esse anúncio possa ser feito nas jornadas parlamentares do PSD, que decorrem na quinta e na sexta-feira, no Porto.

Quanto à restante lista, o líder do PSD salientou que foi pedido às distritais que indicassem nomes, a partir do décimo lugar, até 28 de fevereiro.

“Depois teremos uns dias para a construção da lista total”, afirmou.

A lista dos candidatos ao Parlamento Europeu terá de ser aprovada em Conselho Nacional, que se deverá realizar em 13 de março.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.