Açoriano Oriental
Ribeira Grande quer novo centro de saúde reforçado e complementar ao HDES

Autarca da Ribeira Grande considera que o incêndio reforçou a necessidade de tornar o novo Centro de Saúde ‘complementar’ ao HDES

Ribeira Grande quer novo centro de saúde reforçado e complementar ao HDES

Autor: Rui Jorge Cabral/Nuno Martins Neves

A Câmara Municipal da Ribeira Grande defende que o novo Centro de Saúde a construir na Ribeira Grande deve ser reforçado nos seus serviços e “complementar” ao Hospital do Divino Espírito Santo (HDES).

A Câmara da Ribeira Grande salienta, aliás, a “resposta extraordinária” que o Centro de Saúde da Ribeira Grande tem dado  desde o incêndio que afetou o hospital de Ponta Delgada no passado dia 4 de maio, com o reforço de pessoal que teve devido à reorganização dos serviços de saúde em São Miguel. 

Conforme explica em declarações ao Açoriano Oriental o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, “a posição geoestratégica da Ribeira Grande, que faz fronteira com todos os concelhos da ilha, permite que possamos pensar mais além, estando já sinalizado um local para o novo centro de saúde, que foi tratado com o atual Governo Regional, sendo uma reivindicação antiga da população”.

Para Alexandre Gaudêncio, o incêndio no Hospital do Divino Espírito Santo, no passado dia 4 de maio, “veio dar razão a essa reivindicação, uma vez que ao longo dos últimos anos aconteceu um ‘desmantelamento’ do Centro de Saúde da Ribeira Grande”, por exemplo, ao nível das pequenas cirurgias ou dos meios complementares de diagnóstico.

O presidente da Câmara da Ribeira Grande lembra mesmo que a Urgência do Centro de Saúde da Ribeira Grande estava a encerrar às 20 horas e que o aparelho de Raio-X deixava de funcionar a partir das 16 horas, antes do incêndio no hospital de Ponta Delgada, para onde eram direcionados a partir dessas horas os utentes do Centro de Saúde da Ribeira Grande.

Por isso, desde o incêndio no HDES que a autarquia reforçou ainda mais a reivindicação de que o Centro de Saúde da Ribeira Grande funcione “de forma complementar” ao Hospital do Divino Espírito Santo, uma ideia reforçada pelo facto de estarmos “a 15 minutos de Ponta Delgada”.

Alexandre Gaudêncio mostra-se otimista em relação a essa possibilidade, com base em posições recentes assumidas pelo Governo Regional no sentido de uma “descentralização” nos cuidados de saúde em São Miguel, concluindo que “este é o caminho”.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados