Revista de Imprensa Nacional


 

Lusa/ AO   Nacional   25 de Out de 2007, 07:46

A possibilidade de as escutas telefónicas do “Apito Dourado” serem declaradas nulas, a visita do presidente russo a Lisboa, a vitória do Benfica e empate do FCPorto na Liga dos Campeões estão hoje em destaque na imprensa lisboeta.
“Escutas do Apito prestes a ser declaradas nulas” é a manchete do Jornal de Notícias, salientando que uma decisão do Tribunal Constitucional atesta ilegalidade de destruição de gravações sem arguidos as ouvirem.

    De acordo com o matutino, “dezenas de processos, entre eles os que envolvem Pinto da Costa e Valentim Loureiro, estão em risco de ruir”.

    Na capa, o JN realça também a vitória do Benfica por 1-0 frente aos escoceses do Celtic de Glasgow, em jogo da terceira jornada do Grupo D da Liga dos Campeões em futebol, disputado no Estádio da Luz em Lisboa.

    Ainda sobre a Liga dos Campeões, o JN destaca o empate a uma bola do FC Porto frente ao Marselha.

    “Parlamento deixa cair expulsão de alunos das escolas”, “Reabilitação de prédios dá benefícios fiscais” e “Sindicato dos Pilotos decidiu desconvocar greve na TAP” são outras chamadas de capa do JN.

    O Público dedica parte da primeira página à visita oficial a Portugal do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que antecede a cimeira entre a Federação Russa e a União Europeia, sexta-feira, em Mafra, arredores de Lisboa.

    O jornal titula “A Rússia entre nós”, referindo que Putin inaugura em Lisboa exposição do Hermitage antes da cimeira com a União Europeia.

    O matutino puxa também para a capa “Principais grupos bancários de Espanha estudam ataque ao BCP”.

    Segundo o Público, a hipótese de o BBVA entrar no capital do BCP é a mais ameaçadora, dada a sua dimensão.

    O Diário de Notícias faz hoje manchete com o título “Subsídio de desemprego da função pública travado”.

    O jornal escreve que os 50 mil funcionários públicos com contratos administrativos de provimento já não vão descontar, no próximo ano, um por cento do salário para a Segurança Social, de modo a financiar o subsídio de desemprego.

    O matutino chama ainda a tenção para um suplemento especial sobre escolas a que dá o título “Aluno modelo é do sexo feminino, urbano e filho de licenciados”.

    “Cem agentes da PSP guardam Putin em Lisboa”, “Cardozo dá alento a Benfica e Porto empata” e “Kate McCann chora pela primeira vez” em entrevista a televisão espanhola são outros assuntos abordados no DN.

    “`Menino guerreiro´ exige 450 mil euros” é a manchete do Correio da Manhã, realçando que a empresa Interact, que esteve ligada ao publicitário Einhart da Paz, que criou o “menino guerreiro” para Pedro Santana Lopes, colocou a Câmara de Lisboa em tribunal.

    O caso remonta a 2004, por prestação de serviços na área da publicidade.

    O CM chama ainda à primeira página “Cardozo marcou em noite dramática”, “Kate chorou pela primeira vez em público” e “Reformados do Estado perdem poder de compra”.

    O 24horas titula “174 dias depois Kate chora por Maddie”, referindo-se a uma entrevista que o casal McCann deu quarta-feira a uma televisão espanhola.

    O diário diz ainda que esta foi a primeira vez que o casal falou depois de ter sido constituído arguido.

    Na capa, o 24horas avança que “Procurador da Casa Pia admite que escondeu provas favoráveis à defesa”.

    O jornal diz que João Guerra excluiu do processo 83 diagramas que demonstravam que os acusados de pedofilia não telefonavam entre si nem às vítimas.

    “EDP avalia novos alvos no estrangeiro” escreve o Diário Económico em manchete, referindo que António Mexia apresentou quarta-feira uma nova estratégia ao conselho geral e de supervisão da eléctrica, em que reafirmou o desafio internacional da empresa.

    O económico destaca também “Brisa vai gerir estradas da Rússia”, salientando que Valdimir Putin aterra hoje em Lisboa para a cimeira UE-Rússia e a operadora portuguesa vai assinar um memorando para ir gerir auto-estradas que vão ser privatizadas.

    O Jornal de Negócios revela na sua edição que “Queiroz Pereira acusa Governo de mandar na EDP”.

    O presidente da Semapa explicou ao jornal que a decisão de sair do capital da eléctrica foi tomada quando percebeu que “essa participação nunca viria a ter interesse estratégico enquanto o Governo se mantiver na EDP.

    “Sete mini-hídricas do Alqueva vão abrir-se aos privados”, “Investigadores do Banco de Portugal e da CMVM já estão no BCP” e “FMI dá tolerância zero a Portugal na reforma do Estado” são outros títulos.

    A revista Visão publica hoje uma “edição verde” dedicada às alterações climáticas.

    “O que ameaça Portugal”, a “Batalha pela Amazónia”, “a verdadeira Eco-casa” e “A pegada ecológica dos nossos deputados” são alguns temas abordados na revista que realça ainda um guia sobre a floresta lusitana.

    A Visão chama ainda a atenção para artigos e entrevistas com Al Gore, António Mexia, Durão Barroso, José Saramago, D. José Policarpo, Maria de Lurdes Rodrigues, entre outros.

    A revista Sábado puxa para a capa uma fotografia de Jardim Gonçalves com uma lágrima, titulando “Como ele viveu os dias do escândalo…e perdeu 10 milhões numa semana”.

    Na primeira página, a Sábado salienta ainda casos de doentes com diagnósticos errados e que achavam que iam morrer.

    A vitória do Benfica sobre os escoceses do Celtic no encontro da terceira jornada da Liga dos Campeões em futebol, realizado quarta-feira no Estádio da Luz, em Lisboa, preenche as primeiras páginas dos desportivos.

    “À terceira foi de vez”, titula o Record, explicando que “Cardozo decide após dois tiros aos ferros”, marcando o golo que garantiu a primeira vitória dos “encarnados” na presente edição da Liga dos Campeões.

    “De poste em poste até à vitória final” é o título que surge na primeira página de A Bola, segundo a qual “Cardozo decidiu ao minuto 86 após várias tentativas”, ajoelhando-se no relvado após o fim da partida para “agradecer a Deus”.

    “Aleluia Cardozo!” faz manchete em O Jogo, que revela uma curiosa declaração do autor do golo do Benfica, “Pensei que já não ia marcar”, e explica que “Paraguaio resolveu após dois remates ao ferro”.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.