Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO Online   Nacional   21 de Dez de 2010, 05:37

A execução orçamental até novembro, os limites às indemnizações e a possibilidade de o Presidente vetar as alterações dos apoios ao ensino privado são temas em destaque na imprensa de hoje.

O Jornal de Notícias faz manchete com a execução orçamental e escreve “Impostos fazem cair défice pela primeira vez este ano”.

De acordo com o JN, a despesa continua a subir (2,6 por cento) mas a receita fiscal cresceu ainda mais (5 por cento).

O Público acrescenta que o resultado é bastante superior ao previsto nas receitas fiscais e que o corte nas despesas de investimento melhorou a execução orçamental.

O Diário de Notícias adianta que “travão nos gastos sociais baixa o défice” das contas públicas.

No Jornal de Negócios, o título principal diz que “Patrões querem limites às indemnizações já”, sendo que a Confederação do Comércio defendeu na segunda-feira que a imposição de um teto e a redução dos valores sejam aplicados aos atuais e futuros contratos.

O jornal dedica ainda a primeira página às antevisões do ano 2011 e noticia que a despesa na saúde subiu quase 8 por cento em novembro.

A possibilidade de Cavaco Silva dar o seu primeiro veto ao Governo é o tema em destaque no jornal i que adianta que o Presidente irá decidir até às eleições.

Em causa está a alteração aos apoios do Estado ao ensino privado, sendo que Cavaco Silva pediu uma “solução de consenso”.

O jornal salienta ainda que o Governo vai baixar o valor mínimo das SCUT para estrangeiros e diz que a despesa pública desacelerou mas ainda subiu em novembro.

O i destaca ainda a queixa apresentada pela eurodeputada Ana Gomes por crime na compra dos submarinos.

O JN escreve ainda que as encomendas on-line ajudam os correios, já que os CTT já entregaram 8 milhões de objetos

O mau tempo é outro dos temas presente em todos os jornais, com o Diário Económico a referir que há passageiros da TAP retidos em Londres até ao Natal e o JN a lembrar que “greve promete agravar o caos nos aeroportos”.

“Hospitais furam cortes nos custos impostos pelo Governo” é a manchete do Diário Económico, que adianta que os hospitais de Santa Maria e São João estão entre os que têm planos de redução de custos sem o corte de 15 por cento exigido pelo ministério das finanças.

O jornal noticia ainda que as empresas de transportes querem aumento ainda maior nos passes sociais e destaca uma entrevista ao presidente da Camargo Côrrea e administrador da Cimpor, na qual afirma “Há conselhos de administração menos pacíficos que o da Cimpor”.

O Público escreve em título principal que “PS e CDS receberam a dobrar reembolso de IVA relativo a despesas de campanha”, mas que o Tribunal Constitucional apontou irregularidades às contas de todos os partidos.

O jornal salienta ainda que a embaixada dos EUA relatou tráfico de urânio em mais um episódio Wikileaks.

No DN, a manchete noticia que “detetor de material radioativo foi instalado no porto de Lisboa” num investimento dos Estados Unidos contra a proliferação nuclear.

O jornal destaca também que o gasóleo vai aumentar 4 cêntimos no início do ano e que as Finanças estão a analisar aumento de capital do BPN.

“PJ alarga caça ao homem a Espanha”, diz o correio da Manhã em manchete, adiantando que ladrões de cobre fugiram após execução e que a Judiciária pede colaboração a autoridades espanholas.

O jornal avança que 5 mil milhões de euros de dinheiro público no BPN para garantir depósitos e que a Ongoing vai reforçar a editora Babel.

O semanário O Diabo faz capa com “os segredos do super-pirata da Internet”, referindo ao fundador do Wikileaks, Julian Assange.

Nos desportivos, o destaque é dado ao jogo entre o V. Setúbal e o Sporting (0-3), com o Record a escrever “Manel pagou as favas2 e O Jogo a dizer que Djaló foi o “vingador surpresa”.

A Bola chama “Trunfos certos” aos jogadores leoninos Djaló e Abel.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.