Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO Online   Nacional   30 de Nov de 2010, 06:34

As previsões de Bruxelas que apontam para a necessidade de medidas de maior austeridade, a derrota do Real Madrid face ao Barcelona por 0-5 e o mau tempo no país são os temas hoje em destaque na imprensa.

“Comissão Europeia diz que pode ser preciso ainda mais austeridade”, escreve o Público em manchete, adiantando que as previsões divulgadas na segunda feira por Bruxelas são muito mais pessimistas do que as que estão inscritas no recém aprovado Orçamento do Estado para 2011.

O DN também destaca as previsões de mais desemprego, recuo no PIB e risco de incumprimento do défice mas faz manchete com “portugueses vão ter o maior corte de salários de toda a Europa”.

Segundo o jornal, o Governo corta 11 por cento na massa salarial da função pública, a maior queda de sempre.

O DN salienta ainda que a Agência para fiscalizar o OE vai avançar, mas não arranca no início do ano e diz que o Banco de Portugal avisou que a banca não pode continuar a financiar-se no BCE.

O Correio da Manhã acrescenta ainda que o PIB do país encolhe 4,7 milhões por dia, enquanto o Diário Económico salienta que “Consumo das famílias sofre maior queda dos últimos 30 anos”, prevendo a Comissão Europeia uma descida de 2,8 por cento.

“Cavaco ao ataque. ‘Podemos voltar a ser um país respeitado’”, é o título principal do jornal i, que adianta que o candidato presidencial lembra que Portugal já foi um bom aluno na Europa.

A derrota do Real Madrid frente ao Barcelona por 0-5 é outro dos destaques da emprensa de hoje.

O Público salienta que a maior derrota de Mourinho foi “fácil de digerir” e o DN acrescenta ter sido também a maior derrota de sempre de Ronaldo, Pepe e Carvalho.

A divulgação dos documentos do Wikileaks continua a ser destaque dos jornais, com o Público a escrever “diplomacia dos EUA desculpa-se para sobreviver” e o DN a mostrar uma fotografia dos lábios feridos do presidente norte-americano sob o título “As feridas que o novo escândalo pode fazer a Obama”.

No Correio da Manhã, a manchete refere que ”Portugal gasta 200 milhões com Sida” e que os médicos estão preocupados com efeitos dos cortes na despesa enquanto o JN salienta “Porto atrai sem-abrigo de várias zonas do país”.

O frio que se faz sentir sobretudo no Norte e Centro do país é também notícia de primeira página dos jornais com o DN a escrever “Neve deixa 15 mil alunos sem aulas no Norte e Centro”, o Correio da Manhã a salientar que “Neve fecha escolas e corta estradas” e o JN a dizer que “Frio esgota aquecedores e lenha”.

O Jornal de Negócios escreve em manchete “Governo cria empresa pública para gerir grandes obras e PPP” e que três administradores serão nomeados por 3 anos para liderar a nova Agência para o Investimento.

O jornal salienta ainda que o primeiro ministro vai encontrar-se hoje com as maiores exportadoras e que as empresas do Estado entregam hoje o plano de corte de custos.

O Diário Económico adianta que “ajuda à Irlanda não trava subida dos juros da dívida portuguesa” e adianta que os juros das Obrigações do Tesouro atingiram um novo máximo e a bolsa nacional fechou a perder

O semanário O Diabo faz manchete com os desperdícios do Sistema Nacional de Saúde, escrevendo “Hospitais deitam fora material novo”. De acordo com a publicação, há compressas novas que servem para limpar os pés, fio cirúrgico que acaba no caixote sem ser usado e medicamentos que apodrecem nas prateleiras.

A revista Sábado destaca na capa “Os hotéis com os melhores descontos”, referindo uma lista dos destinos em Portugal onde se pode poupar até 1300 euros numa semana de férias.

Nos desportivos, A Bola escreve “Dupla de esperança” sobre os jogadores Cardozo e Saviola, enquanto O Jogo destaca o treinador do FC Porto para escrever que “Na Europa só ele e Fergunson” estão invencíveis.

O Record titula “Guerra sem Fim” para contar que o treinador do Benfica, Jorge Jesus, provocou nova troca de acusações entre FC Porto e Benfica.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.