Relatório do grupo de trabalho é "peça de propaganda governamental"


 

Lusa/AO online   Regional   15 de Nov de 2011, 16:57

O PCP/Açores criticou o relatório do grupo de trabalho para a definição do serviço público de comunicação social, considerando que se trata de uma “peça de propaganda governamental” que pretende legitimar as opções do executivo.
“Este documento, sem qualquer fundamentação técnica, procura por todos os meios justificar cortes brutais na RTP e RDP e abrir as portas à privatização do serviço público de rádio e televisão, não tendo, por isso, qualquer credibilidade”, refere uma nota de imprensa divulgada pelo PCP/Açores.

No que se refere ao futuro da RTP/Açores, os comunistas defendem que “tem uma missão para cumprir e um importante e insubstituível papel de serviço público ao serviço às populações”.

“Só uma gritante ignorância, uma leviana superficialidade e uma inqualificável má-fé poderiam permitir afirmar que a sua missão está terminada”, refere o PCP/Açores, numa alusão à conclusão do grupo de trabalho.

Para os comunistas açorianos, as conclusões deste grupo de trabalho são “uma das mais graves ofensivas centralistas de toda a história da autonomia”.

“O PCP/Açores continuará a defender o serviço de rádio e televisão integralmente público, enquanto instrumento fundamental para a coesão nacional, sendo assim uma componente essencial das obrigações da República para com a Região Autónoma dos Açores”, conclui o documento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.