Educação

Registados 57 casos de violência escolar

Registados 57 casos de violência escolar

 

Lusa/AOonline   Nacional   27 de Out de 2008, 17:00

A violência relacionada com a comunidade escolar verificou 34 registos no primeiro trimestre deste ano e 23 no segundo trimestre, com um total de 57 casos, divulgou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) numa recolha de informação sobre fenómenos criminais previstos na Lei de Política Criminal.
Destes 57 casos, a maior incidência verificou-se no Círculo de Almada, com 21 casos.

    A PGDL adianta que no terceiro trimestre registaram-se "apenas 10 casos".

    Paralelamente, a violência contra profissionais de saúde averbou quatro inquéritos no primeiro trimestre, dois no segundo trimestre. O terceiro trimestre registou seis novos casos.

    Os casos de violência contra idosos foram 22 no primeiro trimestre e 29 no segundo.

    O 3º trimestre registou 17 novos casos.

    A violência contra deficientes registou dois novos casos no terceiro trimestre, depois de no primeiro semestre terem-se registado sete.

    Quanto a crimes contra crianças (que não de natureza sexual), a PGDL refere que há 94 novos casos registados no terceiro trimestre (no primeiro semestre tinham sido 296).

    Relativamente aos crimes contra a liberdade e autodeterminação sexual de menores, são 209 no terceiro trimestre (a somar a 750 registados no primeiro semestre), indica o memorando da PGDL, dirigida pela procuradora-geral adjunta Francisca Van Dunem.

    Noutro plano, a PGDL revela que as infracções rodoviárias tinham registado no primeiro trimestre 2.913 casos, no segundo trimestre 2.079 e no terceiro trimestre 2.228, acumulando 7.220 inquéritos.

    Em matéria de novos inquéritos na área da corrupção e outros crimes afins foram 577, dos quais 203 no segundo trimestre e 374 no primeiro trimestre. No terceiro trimestre, entraram 66 novos inquéritos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.