Quinta comunitária procura sustentabilidade (vídeo)

Carregando o video...

 

Ana Paula Fonseca   Regional   26 de Abr de 2013, 18:23

As antigas instalações da Casa do Gaiato de São Miguel, na vila das Capelas, estão a ser transformadas numa grande quinta comunitária, num projeto que envolve sete instituições da ilha, com o objetivo de resgatar hábitos agrícolas, combater o desemprego e a promoção da empregabilidade na agricultura.

Numa área de 60 alqueires de terra, agora inseridos na Quinta do Norte, estão a (re)nascer árvores de fruto, muitas autóctones da ilha, e várias parcelas de cultivo hortícola, que vão abastecer as cozinhas das entidades parceiras, para além de existir espaços destinados à criação de animais domésticos.


Cada instituição envolvida - Secretaria Regional do Trabalho e da Solidariedade Social, Cresaçor- Cooperativa Regional de Economia Solidária, Novo Dia – Associação para a Inclusão Social, Arrisca, Casa do Gaiato de São Miguel, Norte Crescente – Associação de Desenvolvimento Local e Tetrapi – Centro de Atividades Educacionais - colabora na recuperação urbana e rural da quinta, afetando recursos materiais e humanos e implementando projetos que levem à integração de pessoas excluídas e envolvam a comunidade da costa norte e da ilha.


Apesar da quinta vir a ser autossustentável, a médio prazo, o facto é que depende ainda, e em muito, do financiamento do Governo Regional


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.