Telecomunicações

PT traz na bagagem Data Center e MEO IPTV

PT traz na bagagem Data Center e MEO IPTV

 

Paulo Simões / Pedro Lagarto   Regional   8 de Set de 2008, 12:30

Zeinal Bava, presidente executivo da Portugal Telecom, está nos Açores a partir de segunda-feira (hoje) e vem acompanhado de uma comitiva de peso.
Porquê?
Os Açores são  um factor importante de investimento para a Portugal Telecom.
Nos últimos dez anos investimos 180 milhões de euros  na Região e agora vamos reforçar a oferta, quer no mercado residencial quer empresarial local.
Trazemos cinco administradores a Ponta Delgada para potenciar contactos a todos os níveis.
O Secretário Regional da Habitação e Equipamentos, José Contente, tem tido uma postura algo crítica em relação aos serviços da PT nos Açores.  Sabemos que tem uma reunião com o Governo Regional.  O que vai conversar com José Contente?
Na medida do possível a Portugal Telecom tenta antecipar os eventos que ocorrem nas telecomunicações.
Infelizmente, muitos desses eventos resultam de anomalias imprevisíveis e, por isso, foi impossível garantir um desempenho a 100 por cento.
Nesta altura estamos a reforçar os investimentos a todos os níveis e a inauguração do Data Center, em Ponta Delgada, permitirá, entre outras coisas, aumentar a segurança para os clientes empresariais dos Açores.
O que é o Data Center?
Um conjunto de máquinas que permitem as empresas guardarem a sua informação e soluções nas infra-estruturas da Portugal Telecom, máquinas essas bastante mais potentes em capacidade de processamento e garantia de níveis de serviço com relação às existentes nas próprias empresas.
Posso dizer-lhe que em Ponta Delgada vamos inaugurar um Data Center com equipamento do mais moderno que existe.
Qual é o universo dos clientes Portugal Telecom nos Açores?
Temos cerca de 70 mil acessos telefónicos, 26 mil clientes de banda larga e 123 mil clientes com telefone móvel, 5 lojas próprias, 22 agentes e quase 250 trabalhadores, sem esquecer todo o trabalho social que também é uma das razões que nos traz agora aos Açores.
Zeinal Bava, para quando banda larga nas Flores e Corvo?
Lançamos agora uma consulta para ponderar esse investimento na construção do anel de fibra óptica no grupo ocidental.
Após o período de consulta, vamos abordar entidades locais e parceiros institucionais para percebermos como vai ser feito o investimento.
Ao lançar a fase de consulta, portanto, a administração da Portugal Telecom dá um forte sinal de que está empenhada nesse processo.
A vossa deslocação tem a ver também com o projecto MEO nos Açores. O que trazem na mala?
O  projecto na área da televisão tem um sucesso que surpreende pela positiva a nossa empresa e o mercado. Permite-nos afirmar como real alternativa ao outro operador histórico com forte posição no mercado.
Hoje, o MEO já não é uma aposta, mas uma certeza, quer pela riqueza de conteúdos quer pela qualidade do serviço.
Agora, vamos lançar nos Açores, com um preço bastante competitivo, o MEO IPTV, com cinco serviços - televisão, internet móvel e fixa, telefone voz e vídeo clube com mais de 1300 filmes.
Na fase inicial o MEO está disponível nas ilhas São Miguel, Terceira e Faial, com cerca de vinte mil famílias.
Os Açores estão na agenda da Portugal Telecom para a Televisão Digital Terrestre?
Assim que o concurso ficar definido vamos lançar a TDT em simultâneo no Continente, Açores e Madeira. É um compromisso que fica aqui assumido.
Nesta visita aos Açores tem também uma reunião na Fundação Pauleta. Por que motivo?
Para além do aspecto meritório sob o ponto de vista social que a Fundação Pauleta nos merece, o Pedro representou as cores da nossa selecção e a TMN patrocinou a Equipa das Quinas e até lhe prestou  a devida homenagem quando decidiu sair.
Vamos patrocinar os equipamentos de treino e jogo dos jovens como forma de reconhecer e motivar o trabalho do Pauleta e de reforçar a nossa aposta nos mais novos, tal como acontece no Continente.
A Portugal Telecom vai estar também com  a Associação de Paralisia Cerebral de São Miguel. É importante o apoio das grandes empresas a esse tipo de associações?
Quando aprovámos o Orçamento anual incluímos também o apoio institucional a estas causas.  Nesse caso, vamos oferecer equipamentos, soluções especiais que a Portugal Telecom desenvolveu para pessoas com paralisia cerebral.
E em que consiste o protocolo a firmar com a Universidade dos Açores?
Este protocolo tem por objectivo assegurar a promoção de iniciativas e a realização de acções conjuntas entre a Portugal Telecom  e a Universidade dos Açores relativas à formação e valorização de recursos humanos e ao incremento de intervenções de incidência empresarial.
Nomeadamente, a cooperação  privilegiará a  formação e estágio de licenciados e alunos da Universidade dos Açores  na delegação da Portugal Telecom  na Região Autónoma e a participação de docentes, investigadores e pessoal técnico especializado da academia em iniciativas e projectos com incidência empresarial
Repare, a Portugal Telecom está nos Açores com um projecto de longa duração .||

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.