PSD/Açores acusa Vasco Cordeiro de estar "de costas voltadas" para micaelenses

PSD/Açores acusa Vasco Cordeiro de estar "de costas voltadas" para micaelenses

 

Lusa/Ao online   Regional   17 de Nov de 2018, 01:27

 A comissão política de ilha de São Miguel do PSD acusou esta sexta feira Vasco Cordeiro de estar de “costas voltadas para a população”, por não ter participado nas reuniões em que o executivo recebeu os cidadãos.

“O senhor presidente do Governo enviou cartas aos micaelenses, convidando-os a participarem em encontros com o executivo na Ribeira Grande e na Povoação. Lamentavelmente, Vasco Cordeiro não participou em nenhuma dessas reuniões, revelando ser um governante de costas voltadas para as populações”, lê-se no comunicado enviado pelos sociais-democratas no último de três dias de visita do Governo Regional dos Açores a São Miguel.

Para a estrutura micaelense do PSD, os encontros com a população “deveriam ser pontos altos da visita à ilha, mas Vasco Cordeiro preferiu os momentos de propaganda para a comunicação social ver”, lamentando que, “em vez de falar, olhos nos olhos, com os cidadãos da ilha de São Miguel e ouvir as preocupações do povo”, o líder socialista tenha optado por “fazer inaugurações ou lançamentos de primeiras pedras”.

O comunicado sublinha que o “Conselho de Ilha de São Miguel, no memorando entregue ao governo, chamou a atenção para o facto de os preocupantes níveis de pobreza serem uma das causas do insucesso escolar, tendo apresentado medidas para contrariar esta situação” e afirmam que o presidente do Governo Regional “desprezou esta questão”.

“Vasco Cordeiro fala muito em planos de combate à pobreza, mas depois recusa ver no terreno a realidade que diz querer combater”, declaram os sociais-democratas, que consideram a visita do executivo açoriano à ilha, que termina hoje, “um momento de mera campanha do governo, ao qual a população micaelense se mostrou indiferente”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.