Açoriano Oriental
PS reclama para os Açores a aplicação directa dos planos de emprego
Por considerar que os Açores têm tido “uma eficácia muito boa” em matéria de políticas de emprego, o candidato do PS/Açores ao Parlamento Europeu, Luís Paulo Alves, defendeu esta terça-feira que os Açores devem ter a possibilidade de aplicar directamente nos seus planos de emprego as políticas comunitárias previstas para esta área.

Autor: Luísa Couto
De acordo com a informação disponibilizada pelo PS em comunicado, o candidato aproveitou esta terça-feira a visita à nova Escola Profissional da Ribeira Grande, localizada na vila de Rabo de Peixe, para  destacar o “aspecto crucial” para os Açores da qualificação dos seus recursos humanos.

Por essa razão,  Luís Paulo Alves reclama a necessidade das políticas europeias  estarem cada vez mais próximas das pessoas.

“Nesta perspectiva, podemos propor que as políticas europeias para o emprego não se confinem só aos planos nacionais, mas que possam ser, também, directamente executadas pelos planos regionais de emprego”, explicou.

“Nós temos cerca de três mil  jovens a aceder ao mercado de trabalho todos os anos, dois mil dos quais provenientes do Ensino Profissional, o que demonstra bem a importância da qualificação destes activos”, realçou.

Ainda assim, as consequências da crise internacional ao nível de emprego nas camadas jovens não foram arredadas das preocupações do candidato do PS/Açores ao Parlamento.

Já durante a visita às instalações da Agência Espacial Europeia (ESA), na ilha de Santa Maria, Luís Paulo Alves havia apontado o desemprego como “um problema geral e a Europa tem que dar uma resposta global”.

Para responder a esse desafio, o candidato socialistas aponta a aposta em programas como o Erasmus Universal, que potenciam a qualificação e a mobilidade das populações mais jovens, independentemente das suas condições financeiras, preparando-as melhor para os desafios de um mercado trabalho cada vez mais global e competitivo.

Luís Paulo Alves aproveitou ainda a passagem pelas instalações da ESA na ilha do Gonçalo Velho para destacar que o referido “espaço de observação espacial coloca os Açores no centro do Oceano Atlântico”, inserindo a região no centro do conhecimento espacial.

De acordo com a informação disponibilizada em comunicado, Luís Paulo Alves salientou ainda o facto de aquele centro desenvolver actividades com grande potencial futuro, nomeadamente, a monitorização de todos os aspectos relacionados com as acções desenvolvidas no oceano, em termos de segurança marítima, designadamente o controlo dos derrames, a fiscalização da fronteira atlântica e de actividades ilícitas ligadas à pesca.

“Este espaço traz a posição estratégica dos Açores para a Europa, conferindo-lhe centralidade e importância geográfica”, reiterou.Por tudo isso, o candidato do PS/Açores às Europeias entende que  devem ser potenciados, explicando  que estes “têm cabimento no VII Programa-Quadro, permitindo deste modo serem utilizados como fortes valências para a União Europeia”.

Para além das instalações da ESA,Luís Paulo Alves esteve presente num almoço com dirigentes do partido, organizações agrícolas e de pescas, cooperativas de artesanato e organização de juventude.
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.