PS quer ouvir administradores de empresas públicas dos Açores antes de tomarem posse

PS quer ouvir administradores de empresas públicas dos Açores antes de tomarem posse

 

Ao Lusa   Regional   30 de Nov de 2013, 12:48

O PS vai apresentar no parlamento dos Açores uma iniciativa para que os presidentes dos conselhos de administração das empresas públicas regionais nomeados pelo Governo Regional sejam ouvidos pelos deputados antes de tomarem posse.

 

A Comissão Regional do PS/Açores esteve reunida na sexta-feira e este sábado na Horta, ilha do Faial, tendo analisado e aprovado as 25 moções setoriais que tinham sido apresentadas no último congresso do partido, em janeiro.

O presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, que preside também ao Governo Regional, destacou hoje, em declarações aos jornalistas, que uma dessas moções, como o título "Mais transparência, melhor democracia", mandata o grupo parlamentar socialista no parlamento açoriano, onde tem maioria absoluta, a apresentar uma iniciativa legislativa para garantir que os presidentes dos conselhos de administração das empresas públicas sejam ouvidos pelos deputados antes de entrarem em funções.

Vasco Cordeiro sublinhou que é algo "inédito ao nível do país", considerando que é uma "forma de avançar com o aprofundamento da democracia" e dar mais "rigor" ao "funcionamento de toda a esfera política" e que também nesta área os Açores desenvolvem uma "verdadeira via açoriana" diferente da República.

Outro dos assuntos em debate na comissão regional foi, segundo Vasco Cordeiro, as eleições europeias de 2014, tendo sido delegado no Secretariado Regional e no presidente do partido a preparação do processo para a escolha do candidato dos Açores a integrar as listas do PS, "salvaguardando", afirmou, que o escolhido deve ser "conhecedor das problemáticas europeias e da sua relação com a governação da região", com vista à "defesa dos interesses" do arquipélago.

A este propósito, foi questionado pelos jornalistas se o candidato poderá ser Carlos César, o ex-presidente do executivo regional.

Vasco Cordeiro respondeu que, "na avaliação do PS e no sentimento da maioria esmagadora dos açorianos", Carlos César "ainda tem muito a dar aos Açores" e na defesa dos interesses da região. Mas acrescentou que a escolha do candidato não foi hoje abordada e há agora um "processo que se segue" nesse sentido.

Dentro do PS e entre "os açorianos que colaboram com o PS" há, "felizmente, muitas personalidades em condições de assumir a defesa desses interesses [da região]", afirmou.

Sobre a análise da situação política, económica e social da região, garantiu que das conclusões desta reunião da comissão regional do PS/Açores "ressalta com grande clareza a constatação" de que o Governo dos Açores "se afirma como a grande força de defesa dos açorianos da austeridade que não conhece limites" que chega da República, destacando os apoios a famílias e empresas que, em 2014, beneficiarão de mais de 230 milhões de euros de benefícios "que não teriam se vivessem no continente ou na Madeira"


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.