"PS chegou ao fim de ciclo"

"PS chegou ao fim de ciclo"

 

Lusa/AOonline   Regional   25 de Out de 2008, 18:07

O secretário-geral do PSD/Açores afirmou hoje que apesar dos socialistas terem ganho as eleições regionais de 19 de Outubro, a votação traduziu "um claro sentimento de fim de ciclo" para Carlos César e para o PS/Açores.
"Os resultados de 19 de Outubro traduziram um claro sentimento de fim de ciclo de Carlos César e do partido socialista. Os açorianos começaram a cansar-se do actual estado de coisas, das suas condições de vida, que não melhoram em circunstâncias especiais", afirmou Jorge Macedo, numa conferência de imprensa para dar conta das conclusões da reunião, sexta-feira, da Comissão Política Regional (CPR) do PSD/Açores.

    Reconhecendo que o partido não atingiu os seus objectivos, que eram ganhar as eleições, Jorge Macedo frisou que os socialistas também não ganharam como queriam, já que perderam 15 mil votos e um deputado comparativamente com as regionais de 2004.

    Segundo o dirigente social democrata, os açorianos já interiorizaram que Carlos César e o PS/Açores estão "esgotados" e que mesmo o governo regional socialista dispondo de 500 mil euros por dia para investir, as famílias açorianas vivem com mais dificuldades.

    "O PS iniciou o seu ciclo descendente e são os açorianos a exigir que o PSD inicie o seu ciclo ascendente. O PSD vai estar à altura das exigências dos açorianos e voltar a ver caras mais felizes", assegurou Jorge Macedo, ao enaltecer o "legado incontornável no ideário político do PSD/Açores e da região" deixado pelo líder social democrata demissionário, Carlos Costa Neves.

    Costa Neves apresentou a sua demissão no passado domingo, depois de conhecida a vitória do PS/Açores nas eleições regionais, e sexta-feira à noite reafirmou a sua intenção de abandonar a liderança do partido, cargo que assumiu em 2005 depois da saída de Vítor Cruz.

    O secretário-geral do PSD/Açores anunciou, ainda, que a CPR vai propor à mesa do congresso a marcação do Conselho Regional extraordinário para 01 de Novembro e a marcação de eleições directas, para a eleição do novo líder do partido, para 02 de Dezembro.

    O congresso regional dos social democratas açorianos deverá realizar-se a 12, 13 e 14 de Dezembro, acrescentou.

    Para já o nome mais consensual entre os militantes para assumir a liderança do partido é o da vice-presidente do PSD/Açores, Berta Cabral, que já adiantou que só se iria pronunciar sobre esta situação na próxima semana.

    Sobre uma eventual candidatura de Berta Cabral, Jorge Macedo disse apenas que se trata de "uma personalidade muito prestigiada dentro e fora do partido", alegando que até às eleições directas poderão surgir outras candidaturas. 

   


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.