PS aprova sozinho medidas fiscais anti-cíclicas

PS aprova sozinho medidas fiscais anti-cíclicas

 

Lusa / AO Online   Nacional   19 de Set de 2008, 17:48

O PS votou hoje sozinho, no Parlamento, a proposta de lei do Governo com medidas fiscais anti-cíclicas, incluindo a taxa “Robin dos Bosques” sobre os combustíveis.
    Toda a oposição, do CDS-PP ao Bloco de Esquerda, que no debate, quarta-feira, considerou insuficientes as medidas, optou pela abstenção.

    As bancadas da oposição, da esquerda à direita, consideraram positivas, mas insuficientes as medidas fiscais anti-cíclicas, entre elas a taxa “Robin dos Bosques”, com o CDS-PP a classificá-lo de “mini-pacote fiscal”.

    No debate da lei, quarta-feira, a oposição reagiu com descrédito à iniciativa governamental, com o PSD, através de Duarte Pacheco, a acusar o executivo de “reagir ao retardador” quanto a uma “crise anunciada” de modo a conseguir “uma receita extraordinária para maquilhar os resultados” económicos do país.

    Carlos Lobo, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, defendeu a proposta de lei do Governo que prevê, além da taxa “Robin dos Bosques”, uma redução do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a majoração dos encargos com os juros de empréstimos da habitação para efeitos de IRS.

    Medidas que, explicou Carlos Lobo, têm em vista a “suavização interna dos efeitos da crise nos mercados financeiros e nos mercados dos produtos petrolíferos”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.