Economia

Projecto turístico em Lisboa exclusivo para mulheres

Projecto turístico em Lisboa exclusivo para mulheres

 

Lusa/AO online   Nacional   31 de Ago de 2008, 13:55

A francesa Audé A. nunca tinha estado em Portugal, mas considera que em três dias ficou a conhecer Lisboa como qualquer ‘alfacinha’, através de um novo projecto turístico que traça os percursos segundo a personalidade de cada mulher.
O projecto 'Madame Voyage', lançado há pouco mais de um mês, a partir de uma ideia da francesa Diane Hua, destina-se apenas a mulheres, que viajam sozinhas ou a acompanhar, por exemplo, um marido atarefado por reuniões ou negócios, e pretende levá-las a conhecer a cidade, através de um percurso adaptado à personalidade de cada uma.
"A ideia surgiu de uma necessidade pessoal. Somos todas mulheres activas que viajamos muito e realmente descobrimos carências nas cidades por onde passámos, além de propostas turísticas muito pré-formatadas, nas quais temos de nos inserir se queremos descobrir uma cidade", explicou à agência Lusa Emanuelle Afonso, uma das colaboradoras do projecto.
"Mesmo em viagens a dois, as vontades podem não ser semelhantes. Uma mulher que acompanha o marido numa viagem de negócios às vezes passa muito tempo sozinha e gostaria de ter uma amiga que lhe permitisse descobrir a cidade e é isso que propomos: uma amiga de um ou dois dias que se disponibiliza a mostrar as especificidades da cidade consoante a personalidade de cada uma", acrescentou.
Contra os percursos turísticos "pré-formatados", este projecto propõe oito percursos, consoante a mulher seja hedonista, fanática em compras, tenha espírito desportivo, atitude "zen", seja espiritual, romântica, amante da noite ou da gastronomia.
Há ainda um ‘pacote surpresa’, para quem não se identifique com nenhum dos anteriores.
Até agora, os mais escolhidos são "as ocupações femininas predilectas, como é o ‘shoping’ e o romântico".
Audé identificou-se com o hedonismo porque "quis ver um pouco de tudo".
"Normalmente trabalho muito e queria aproveitar o feriado de 14 de Julho, que tem três dias em França, para ir a um lugar que não fosse frio nem fosse longe e decidi conhecer Lisboa e arredores quando ouvi falar do projecto", disse.
"Tomei o pequeno-almoço num sítio fabuloso na Costa da Caparica a olhar o mar, andei na praia, fui a Sintra, que tem locais maravilhosos e onde me senti muito bem, rodeada de toda aquela natureza", disse à agência Lusa.
Audé foi ainda a Cascais, onde comeu um gelado famoso, e visitou os Jerónimos, onde se "recolheu" um pouco. Dali a uns pastéis de Belém foi um salto - levou 40 para França - e depois visitou o Museu de Arte Moderna.
"Adorei o percurso à beira mar entre Sintra e Cascais. É lindíssimo e olhar aquele mar dá muita paz", considerou, realçando que para "uma mulher sozinha, que não fala a língua nem conhece o país, era impossível fazer este percurso em três dias".
"Fazemos uma vida de cidadão português normal, inclusive quando queremos comprar recordações, vamos às lojas a que vão os portugueses reais, não às lojas e aos sítios onde nos levam os percursos turísticos comerciais", salientou Audé.
"Agora quero voltar quando puder, mas para conhecer Óbidos", disse.
Ao contrário de uma agência tradicional, o "Madame Voyage" não tem uma sede, vive na Internet, em www.madamevoyage.com.
"É um projecto que corresponde bem ao 'life style' de hoje em dia. É um projecto de optimização do tempo, de sentir e conhecer uma cidade muito rapidamente", considerou Emanuelle Afonso, salientando que muitas vezes "só quando estamos a chegar ao fim da estadia num determinado local é que começamos a sentir realmente essa cidade e a saber os locais onde devemos ir".
O preço de cada pacote também é personalizado consoante o programa e não há um preço pré-estabelecido.
"Quem escolhe o pacote gastronómico, por exemplo, pagará certamente mais do que quem escolhe outro pacote e, mesmo assim, depende do tipo de restaurantes incluídos no roteiro", explicou.
As propostas de fins-de-semana personalizados, consoante a forma de estar de cada mulher que contacta os serviços, apenas acontecem em Paris e em Lisboa.
O “Madame Voyage” também faz percursos em Atenas e em Londres, mas aqui apenas é possível um percurso, por não estar seleccionada ainda uma rede de colaboradoras, ou 'anjos', com lhes chama o site.
 "As cidades que propomos são cidades que conhecemos e pelas quais nos apaixonámos e é por gostar mesmo das cidades que queremos mostrar estas e não outras cidades do mundo por onde já passamos", afirmou Emanuelle Afonso.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.