Programa Eurostars vai promover investimento em I&D nas pequenas e médias empresas


 

Lusa/AO   Internacional   3 de Out de 2007, 08:19

A Comissão Europeia lançou o programa Eurostars, que prevê destinar cerca de 800 milhões de euros para fomentar o investimento em investigação e desenvolvimento (I&D) em pequenas e médias empresas da UE.
Para satisfazer as necessidades das pequenas e médias empresas (PME) que se dedicam a actividades de I&D, a Comissão Europeia (CE) lançou, esta terça-feira, o programa Eurostars, uma iniciativa conjunta dos 27 países que pertencem ao Eureka, que promove o I&D na Europa.

    O programa, impulsionado por 22 Estados-membros da UE, bem como pela Islândia, Israel, Noruega, Suíça e Turquia, tem como objectivo financiar parcerias em matéria de I&D com PME activas no domínio da investigação.

    Num comunicado divulgado no âmbito do lançamento do programa, o comissário europeu para a Ciência e Investigação, Janez Potocnik, explicou que o Eurostars "incentiva a implantação das novas tecnologias nas PME, que representam 99 por cento de todas as empresas que operam na Europa e que empregam mais de 75 milhões de trabalhadores".

    Segundo o comissário europeu, este programa vai garantir ainda "uma melhor integração das PME" e "ilustra a forma de funcionamento da Área de Investigação europeia".

    A contribuição da CE eleva-se a 100 milhões de euros, enquanto que 22 Estados-membros da UE e cinco países associados ao Sétimo Programa-Quadro irão disponibilizar conjuntamente 300 milhões de euros suplementares, elevando o investimento global para 400 milhões de euros para um período de seis anos.

    O programa contará, além disso, com financiamentos privados da ordem dos 400 milhões de euros, pelo que o montante global do programa é estimado em cerca de 800 milhões de euros.

    Através do programa Eurostars, os países participantes poderão, de acordo com os responsáveis da iniciativa, partilhar os seus programas nacionais e os financiamentos destinados às actividades de investigação e usufruir de uma utilização dos recursos mais eficaz.

    O investimento abrange vários domínios, tais como a biotecnologia, a robótica, o meio ambiente ou as tecnologias de informação.

    O Eurostars vai ser gerido pelo secretariado do Eureka em Bruxelas, que funcionará como ponto de apoio único para as empresas, emitindo apelos à participação, recebendo propostas de projectos e organizando avaliações com o recurso a especialistas independentes e monitorizando os progressos dos projectos.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.