Presidente austríaco agradece a Portugal acolhimento de cinco mil crianças após II Guerra

Presidente austríaco agradece a Portugal acolhimento de cinco mil crianças após II Guerra

 

Lusa/Ao online   Internacional   28 de Jul de 2018, 01:28

O presidente austríaco, Alexander van der Bellen, agradeceu hoje a ajuda que Portugal prestou a milhares de austríacos antes e durante a II Guerra Mundial, nomeadamente a mais de cinco mil crianças acolhidas após o conflito.

"Não esquecemos que, depois da Guerra, Portugal recebeu milhares de crianças austríacas, famintas, desoladas. Algumas, os pais tinham morrido na Guerra ou estavam desaparecidos em campos na Rússia soviética. Portugal ajudou realmente muito nessa altura", recordou o presidente austríaco perante o seu homólogo português.

Na conferência conjunta, que se seguiu a uma reunião de trabalho dos dois chefes de Estado num edifício da Residenzplatz, no centro histórico de Salzburgo, Alexander van der Bellen recordou também a atribuição de salvo-condutos e asilo durante a guerra , que ajudaram milhares de pessoas.

"As relações bilaterais entre Portugal e a Áustria são tradicionalmente muito boas. Entre outras coisas, porque estão enraizadas na história. Na II Guerra Mundial e depois da Guerra, Portugal ajudou milhares de austríacos. Durante a Guerra, dando-lhes salvos condutos e asilo. Entre eles, lembro Heinrich Mann, o irmão mais velho de Thomas Mann", disse.

Entre 1957 e 1952, cerca de 5.500 crianças austríacas foram acolhidas por famílias portuguesas, num programa da organização católica Cáritas, que envolveu outros países europeus.

"Foi um maravilhoso exemplo que ainda recordamos, de crianças que, sem falar uma palavra de português, foram recebidas por famílias portuguesas, que as ajudaram a recuperar dos traumas da guerra", disse o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa.

A maioria destas crianças regressaram à Áustria poucos anos após a sua estadia em Portugal, tendo algumas sido adotadas por famílias portuguesas.

O tema das migrações tem dominado a presidência austríaca da União Europeia, do governo liderado pelo chanceler conservador Sebastian Kurz e no qual participa a extrema-direita.

Desde que chegou a Salzburgo, na quinta-feira, como convidado de honra para a abertura do festival de música, que o Presidente português quis salientar a proximidade com o presidente austríaco, um político de esquerda aberto ao acolhimento de migrantes e refugiados.

Marcelo Rebelo de Sousa cumprimentou hoje Alexander van der Bellen pela afirmação dos direitos humanos num discurso no ato oficial de abertura do festival de música de Salzburgo.

"Mostrou a coragem, a força, a inteligência, a defender a Europa, explicando como e porquê é impossível ter Europa sem pró-europeus, ou seja, sem cidadãos que partilhem os valores e os princípios da Europa, como é impossível haver democracia sem democratas", declarou o chefe de Estado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.