Preços dos combustíveis em Portugal são dos mais elevados da UE

Preços dos combustíveis em Portugal são dos mais elevados da UE

 

Lusa/AO Online   Economia   16 de Dez de 2008, 17:37

 O presidente da Autoridade da Concorrência, Manuel Sebastião, reconheceu hoje no Parlamento que Portugal tem, em matéria de combustíveis, dos preços mais elevados da União Europeia.
   "Somos um país que nos situamos alto nos preços", afirmou Manuel Sebastião na comissão parlamentar de Assuntos Económicos onde foi hoje apresentar o relatório intercalar sobre a evolução dos preços dos combustíveis.

    "Não somos dos países mais baratos em termos de preços dos combustíveis", acrescentou o mesmo responsável.

    O presidente da AdC disse, no entanto, que apesar de Portugal poder ocupar a quinta ou a sétima posição entre os países europeus com preços dos combustíveis mais elevados, isso deve-se muitas vezes a "diferenças muito pequenas", na ordem dos cêntimos.

    A principal explicação avançada por Manuel Sebastião, para a diferença de preços a nível europeu, deve-se ao facto de o preço internacional do produto à saída das refinarias portuguesas ter um 'spread' mais elevado em função da sua localização e das características dos portos.

    "O preço à saída da refinaria é o preço internacional, formado em Roterdão, com o spread, e nós temos um spread maior do que as refinarias do Norte da Europa, como França ou Holanda", afirmou.

    A esse preço acresce, em Portugal, o preço da logística, que é de dois cêntimos por litro, e o preço da distribuição, que é de 10 a 11 cêntimos.

    "Neste caso, não temos a noção de que seja muito elevado, comparando com outros países, mas são aspectos sobre os quais nos devemos interrogar", concluiu.

    O presidente da AdC prometeu conclusões definitivas sobre o mercado dos combustíveis, nomeadamente se existe cartel, concertação de preços ou abuso de posição dominante, no relatório final de Março.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.